Relato sobre minha homosexualidade

Olá,

Minha história é um pouco grande, porém não quero que vocês a vejam como um conto, isso é vida real e por esses erros relatados abaixo eu pago um alto preço.

Chamo-Me ——-, tenho 20 anos, tudo começou na minha infância, eu conheci o sexo muito sedo e de uma forma errada, aos seis anos de idade fui abusado por um amigo de infância.

Eu nem sabia o que era sexo, só ia por curiosidade, com o passar do tempo cheguei à puberdade e o sexo que conhecia era a pratica homossexual, logo comecei a me interessar por pessoa do mesmo sexo, antes eu buscava a pratica por curiosidade, criança, depois comecei a descobrir o prazer e ia buscá-lo em meios as nojeiras carnais, em um sexo homem com homem.

O tempo passou e eu aprisionado nessas correstes, louco pra me libertar, busquei ajuda na igreja, foi onde vi a solução.

Nunca sofri por piadinhas, por que ninguém sabe da minha situação.

Conheci Deus através da RCC (renovação carismática católica) e junto com ele minha namorada, hoje é bem, mas fácil lhe dar o espinho na carne que me foi posto, porém ainda caio, entretanto busco a Deus sempre pedindo forças para me levantar e busco meu Padre para confissão sempre que acontece e ele está sempre atento quando com os meus problemas e me dar conselhos fortes pra mim saber lutar contra essas correntes.

Quero me libertar! forma uma família e ajudar a levar a palavra de Deus a quem necessita ou ate ajudar alguém que passa ou passou por esse mesmo problema que eu, errei muito praticando essas atrocidades sexuais, sou totalmente contra a homossexualidade.

Em meio às quedas, aprendi a dar valor as coisas simples da vida e desejar ainda mais o que vem de Deus, não julgando meu próximo tentando em entender a luta dele.

Vou deixar uma msg a você que passa pelo mesmo problema que eu.
LUTE, não der brecha ao inimigo (evite quando os primeiro pensamentos de sexo cheragam a sua cabeça, nessas horas o bom é orar ou escutar louvores), creia na misericórdia de Deus, ele abriu o mar pra Israel, bem mais ele pode fazer a seu favor (te livrando do Cativeiro que se encontras), caia mil vezes, porém saiba levantar-se a cada vez que você cair.

Não estou dizendo que é fácil lutar, que de uma hora pra outra vem a libertação, porém essa libertação só depende de você, de uma atitude, diga a você mesmo, eu não quero mais essa vida pra mim, pra onde eu vou com isso?(Ser motivo de piada para outro? (é como a sociedade ver um homem sexual), Pro inferno).

Na ora do bem bom é prazeroso, porém quando as fichas caem do que você acabou de fazer vem um tremendo peso de culpa, de morte.

Diga a você mesmo por hoje não. hoje, só por hoje eu não quero essa vida pra mim e renova essas palavras a cada dia.

Não deixe o inimigo vencer essa guerra!

Seja forte, diga NÃO.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

3 Comentários

  • Querido amigo,

    Li o seu testemunho, e me vi completamente dentro dele. É duro. Eu também fui molestado quando era pequeno e desde então nunca consegui largar de fato . Casei-me, tive filhos e não tenho mais relações homossexuais eu até cheguei a ficar com a mente razoavelmente tranquila, até que encontrei um velho parceiro pelo MSN. Nunca fui apaixonado por nenhum homem e assim como esse cara ou os outros que tive, sempre foi apenas sexo, pois ele tem um corpo que me chama muito a atenção, principalmente os glúteos. Quero me livrar disso, é horrivel..não posso passar pela rua sem olhar o traseiro de outro homem. EU NÃO NASCI PARA ESSA VIDA….AMO MINHA ESPOSA….E NÃO DESISTO DE TENTAR ME LIBERTAR…JÁ TENHO 20 ANOS DE CASADO.

  • Na verdade, o que realmente “dói”, na consciência de quem vive ou pratica a homossexualidade, não é a dor em si mesma, não é a culpa em si mesma, MAS O FATO DE GOSTAR de fazer, de sentir prazer por aquilo que a programação moral religiosa e social diz que é condenável, pecaminoso, etc. Tal qual as pessoas que foram abusadas ou aliciadas, e não superam o trauma, com a recusa de perdoarem os agressores (e consequentemente a si mesmas); CULPAM-SE eternamente, porque mesmo tendo sido CONTRA sua vontade, gostaram de sentirem-se usadas, molestadas e até abusadas (tanto que permitiram por longo tempo o abuso, a violação; mesmo sentindo nojo, aceitaram o sexo, PORQUE ERA O AMOR QUE BUSCAVAM. Uma pessoa homossexual que não aceita a prática da homossexualidade, TEM TODO DIREITO DE VIVER A CASTIDADE, ofertá-la a Deus como cruz, sacrifício, etc. MAS NÃO PROPAGUE O ENGANO , A MENTIRA, A ILUSÃO de que é possível deixar de continuar sentindo o desejo, a tendência, PORQUE A PRÓPRIA IGREJA RECONHECE QUE É DA ESSENCIA DA PESSOA. A IGREJA NÃO CONDENA A ESSÊNCIA, MAS A PRÁTICA. Em lugar de viver nesse eterno conflito, viva a castidade, com o auxílio da Igreja, ou assuma-se de vez. E seja feliz, em qualquer das opções, mas deixe de semear terror nos outros!

  • Vc usa msn? Queria conversar e pedir orientação, pois vivo a mesma situação