Filho Perdão

Namoro à quase três anos com um rapaz que eu tenho certeza que me ama tanto quanto eu o amo. Sempre achei linda a maternidade e tinha medo de não poder engravidar, pois bem, eis que DEUS me mostrou que era possível e eu fiquei grávida.
Na época eu havia trancado a matricula da faculdade e estava prestes a ficar desempregada, venho de uma família humilde do nordeste e todos são muito, extremamente, conservadores.
Embora eu e meu namorado nos gostássemos muito, nosso relacionamento era super conturbado, por que minha mãe não suportava meu namorado, tanto que ele nem entrava na minha casa. Quando descobri que estava grávida, parecia que o chão havia sumido dos meus pés; parecia que minha vida tinha acabado no instante em que o teste deu positivo.
Eu passei muitos dias com aquele segredo entre eu e DEUS, não contei a ninguém, nem mesmo para o meu namorado que era o maior interessado. Passado umas duas semanas eu decidi que o melhor a se fazer era o “aborto”. Embora minha vida toda eu tivesse sido terminantemente contra aquela pratica eu não via outra saída. Estava com medo do que minha mãe ia falar da forma como iria reagir, ela, meu namorado, os pais dele, enfim todos a minha volta, afinal ninguém esperava que eu que sempre fui toda “certinha” engravidasse.
Fui ate a mesma farmácia que fiz o teste e implorei ao dono da farmácia que me arrumasse os tais remédios abortivos. Ele me pediu pra pensar mais que eu ficaria linda como mãe, que não devia fazer isso. Mas meu desespero era tanto que eu insisti, ate que ele me vendeu o remédio.
Numa sexta feira eu me preparei e a meia noite eu tomei os remédios conforme ele havia me indicado. Dormi, pela manhã fui ao banheiro e o sangue estava lá, como eu não sabia como era aquilo achei que tivesse funcionado.
Algum tempo depois eu comecei a passar muito mal, com muitos sangramentos, resolvi procurar um médico ginecologista, inventei pra ele uma historia pra contar que já havia sofrido um aborto. Ele me examinou e pra minha surpresa ele me disse que havia falhado, lá estava meu filho “VIVO” dentro de mim.
No momento em que o vi através da ultrassonografia uma felicidade me invadiu o coração, ouvir o coraçãozinho dele batendo as mãozinhas e os pezinhos mexendo me fez perceber a grande besteira que eu tinha feito, naquele momento eu comecei a me arrepender. Perguntei se havia a possibilidade de o remédio não ter causado nenhum mal a ele, o medico me respondeu que era muito difícil, mas que sim podia acontecer.
Então resolvi que nada me impediria de ter meu filho e contei ao meu namorado que estava grávida. Não era surpresa pra mim ele e a família dele ficou muito feliz, disseram que tudo daria certo e que estariam do meu lado pra tudo.
Com minha mãe foi um pouco mais complicado, mas mesmo assim um dia após saber da noticia ela já havia se rendido a ideia de ser avo.
E eu sem contar nada sobre a tentativa do aborto, comecei a pensar como tudo poderia ter sido mais fácil se eu não tivesse feito aquilo.
O castigo veio duas semanas depois, a bolsa estourou e o meu bebe não iria sobreviver, ele já estava morrendo dentro de mim e eu junto com ele, fui pro hospital e fiquei internada, todos da minha família ficaram do meu lado e meu namorado principalmente.
Um dia após a internação os médicos começaram a induzir o aborto, pra que meu filho saísse de mim sem que me prejudicasse mais, foram longos cinco dias de angustia.
Quando finalmente no dia 4 de novembro as 23:59 eu fui ao banheiro e vi os pés do meu filho saindo de dentro de mim, sem vida, sem luz, sem a beleza de ser mãe, alias como um ser nojento como eu poderia ser mãe.
Eu fui para o centro obstétrico e cerca de três horas depois meu filho saio de mim, “morto”.
Eu não consigo para de pensar nele nem um dia se quer, pensar que eu deveria ter morrido no lugar dele, como eu tive coragem?. Eu espero que Deus possa um dia me perdoar pelo que fiz e que ele possa ver no meu coração o quanto eu me arrependo disso. Carrego esse segredo comigo e só eu sei como dói e o quanto ele me consome.

DEUS ME PERDOA. FILHO ME PERDOA EU QUERIA ESTAR NO SEU LUGAR!!!!!!!

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

3 Comentários

  • Então Bia, o médico disse que o remédio não havia funcionado, pois o bebe estava dentro de minha barriga vivo. O aborto foi provocado, depois que eu fui para o hospital, os médicos disseram que não tinha chances dele sobreviver, a gravidez iria ate um certo ponto, mas ele não nasceria com vida, pois o remédio atrapalhou sua formação. Estou tentando seguir a vida, mas sinceramente é muito difícil.

  • Procure um padre e se confesse, Deus já te perdoou e seu filho tambem

  • Li sua história, achei linda a maneira que vc a descreve.
    Vamos aos fatos. O médico não disse que vc não tinha abortado, mesmo tomando o remédio? Então, pensando assim, vc iria continuar com a gravidez a partir dai certo? Bom, vc sabe se o aborto natural, ocorreu devido aos remédio? E se foi um aborto natural, espontâneo?
    Não importa agora qual foi a causa, já aconteceu e vc aprendeu muito com a lição que a vida lhe deu, agora segue em frente e não se culpe.