Dividido entre duas mulheres

Há alguns anos me apaixonei por uma colega, uma jovem inteligente, religiosa, de princípios e família estruturada; eu solteiro e ela tinha namorado. Apesar de ela também demonstrar interesse, não nos envolvemos por conta de seu relacionamento e nos afastamos, apesar de continuar frequentando os mesmos lugares. Pouco mais de dois meses depois de decidirmos nos afastar, encontrei uma pessoa e logo em seguida (cerca de um mês), casei com ela. No início me envolvi completamente em meu casamento e vivi para a minha família. Contudo, um ano depois meu casamento já estava bastante conturbado, minha esposa era muito ciumenta e já tinha se afastado de todos os meus amigos e familiares, minha vida estava um tormento. Esse contexto me reaproximou da colega e logo acabei me envolvendo com ela, inicialmente em conversas agradáveis em que dividia minha aflição até que nos beijamos. O namorado dela também era muito possessivo e, portanto, tínhamos aflições comuns. Passamos, logo, logo, a nos desejar e fomos para o motel algumas vezes, sem que tivéssemos relação sexual. Na maioria as vezes conversávamos, mas passamos a conquistar liberdade e alimentar desejos até que, enfim, transamos. Aquilo gerou conflitos, porque estávamos em outros relacionamentos, viramos amantes, mesmo que não fosse isso que quiséssemos um com o outro. Queríamos mesmo era viver uma relação nossa, mas tentávamos respeitar as relações em que estávamos e nos transformamos, sobretudo, em amigos. Nos dois anos seguintes, nos afastamos seguidas vezes e nossos relacionamentos se arruinavam a cada dia. Minha esposa não gostava ou não conseguia se entender com minha família, desqualificava todos os meus amigos e acabamos ficando isolados. Eu sofria por não conseguir estabilizar meu casamento e ao lado disso, tinha a colega que me apoiava e de quem eu passei a gostar. O namorado dela, por sua vez, passou a perceber que a estava perdendo e tentou cercá-la de diversas formas; a minha esposa apenas me agredia e me acusava do que eu nem imaginava fazer, mas não conseguia perceber que estava me afastando. Finalmente ela, a colega, decidiu resolver a situação e voltar, definitivamente para o namorado e se dedicar a ele e construir as suas vidas. Meu casamento já estava completamente desestruturado e já não existia mais. Eu deixei a colega seguir a vida dela, embora não visse mais possibilidade de reconstrução de minha vida ao lado da pessoa com quem havia casado. Dois meses depois eu estava separado, embora não legalmente! Ela, então, voltou a se aproximar de mim e deixar o namorado, com quem não mais voltou. Resolvemos, então, ficar juntos e concordamos em assumir nossa relação somente após alguns meses. A essa altura eu já sabia que a amava muito. Contudo, cinco meses depois minha esposa resolveu voltar pra casa e agora não a amo mais. Sua volta foi marcada pelos mesmos aspectos de sua saída, com arrogância e prepotência. Amo minha então “colega” que agora enfrenta vergonha e mágoa, por achar que foi usada por mim. Mas, o que mais me atormenta é amar uma pessoa que não é minha esposa… Minha ex-esposa agora, contudo, está tão amável como nunca foi, reconhecendo seus erros e admitindo minha relação com a colega, que diz fazer questão de ignorar. Estou perdido por duvidar das mudanças da minha ex-esposa e por amar uma pessoa que conviveu comigo amante, embora tenha sido desejada como mulher!
Gostaria muito de uma luz, de um auxílio!

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

2 Comentários

  • Eu também estou nessa situação, estive junto com minha ex mulher a três anos e meio, não somos casados, mas temos um filho e yvivíamos muito bem até que começou as brigas e até nos agredimos. Daí decidimos separar, mas duas semanas antes de isso acontecer eu tinha conhecido uma colega de trabalho, mas não se envolvemos porque ela era casada e eu comprometido. Mas enquanto o meu relacionamento ficava cada vez pior e o dela também mais nos aproximamos. Nos apaixonamos e decidimos morar junto, mas com a intenção de casar em breve. Ela deixou o marido e eu a minha mulher. Moramos juntos por quatro meses, ate que veio as discussões e ciúmes, mas nada que não resolvessimos com uma boa conversa. Eu me identifiquei muito com ela, e tudo que eu fazia sendo com ela era maravilhoso, qualquer coisa ate enfrentar uma enorme fila de banco.
    Um dia ela ficou com raiva de mim
    por conta de uma mentira que inventaram no trabalho ela pegou as suas coisas e foi pra casa da mãe dela, mas apesar das minhas explicações, ela não acreditou. Dois dias depois minha ex ligou pedindo pra voltar, eu aceitei pois ela me prometeu que iria ser tudo diferente. Agora uma semana depois minha colega descobriu a mentira e me ligou pedindo perdão por nao acreditar em mim e que queria me ver. Eu ainda a amo e tudo o que eu sinto por ela é muito diferente do que sinto por minha mulher.

  • A vida é repleta de embaraços, meu amigo. Mas, enquanto se vive, é possível que a gente assuma o controle do que nos acontece. Te digo apenas que não adianta viver com alguém que não ama. O amor é fundamental, pois somente a partir deste sentimento que somos capazes de ser verdadeiramente felizes.

    Então faça uma reflexão: você é capaz de amar a sua ex, que agora está tentando mudar por você?

    Ou você ama a sua colega, e isso não tende a mudar?

    Se a resposta para a primeira pergunta for sim, talvez você só precise acreditar nela. Estar receptivo. Compartilhar coisas boas e reconstruir este sentimento.

    Se a resposta for não, não a iluda mais. Deixe-a ir.

    Com relação à segunda pergunta, se for sim, explique a situação a ela, organize a situação com a sua ex (para que ela se fira somente o necessário) e vá ser feliz com esta colega. Conquiste a confiança dela, da forma como puder.

    De qualquer forma, espero que seja feliz.

    Um abraço.