Mente torturada

Desejo muito matar algumas pessoas. Por várias vezes me pego fazendo planos de como executar o assassinato de uma lista de pessoas que já me prejudicaram. O ódio, a amargura me corroem. Tenho uma prioridade: uma cunhada língua de trapo, ordinária e desocupada. Se a visse morta por qualquer motivo, sentiria alegria de ir no seu velório e demonstrar o quanto ela é inútil e não fará falta a ninguém nesse mundo.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

1 Comentário