Não aguento mais meu enteado

Sou casado com uma mulher que tem um filho de uma relação anterior com idade adolescente.
O garoto foi mal-educado e agora está fora de controle.
Ela bebia e usava drogas, assim como o pai do garoto.
Quando aceitei casar-me com ela sabia do ex e do filho adolescente, mas não sabia que a situação fosse chegar nesse nível de desassossego para mim e pra ela, a ponto de eu estar pensando em me separar e seguir o meu caminho, deixando-a seguir o curso normal de sua vida, que é terminar de criar o filho e dar satisfações para o ex.
Eu não tenho tido sossego desde que o moleque foi passar uns tempos com a gente.
Ele não estuda e não trabalha e eu tenho que ficar sustentando filho que não pus no mundo.
Não acho isso certo.
Tudo bem – eu faria de bom grado se o filho dela tivesse o mínimo de respeito.
Ele parece um animal descontrolado!
Dorme tarde, fica a madrugada inteira na internet, acorda tarde e come tudo que encontra pela frente.
Repito – não faria questão de ajudá-la a acabar de criar o moleque, mas nessa condição, não!
O pai dele é indiferente às atitudes do menino – aliás, chega a achar que são atitudes de homem de verdade – que xinga e maltrata a mãe, que vive às custas dos outros e que não mostra um pingo de gratidão pelo que recebe, pelo que come, pelo que bebe.
Eu vou dar mais um tempo, talvez até o começo do ano que vem, mas se a situação continuar nessas condições eu vou pedir pra sair dessa relação – de coração partido, mas o meu sossego é a minha maior riqueza.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

2 Comentários

  • Entendo perfeitamente voces. Tenho dois. Mas apenas o mais velho mora conosco. Nao trabalha, nao estuda, não faz nada dentro de casa. Come tudo o que encontra e se nao estiver do gosto, ainda fala mal.
    Meu marido não tem pulso firme com ele e estou quase tendo um ataque de fúria, porque ele está na minha casa, acabando com as minhas coisas.
    Mau agradecido, parece que tudo o que o pai dele e eu fazemos é pouco!
    Quero muito que essa fase passe logo, que ele cresça e vai cuidar da vida dele pra eu e meu bem ter um pouco de paz e tranquilidade na vida.

  • Tenho um enteado que ha 15 anos venho cuidando como pai, mas agora estou triste, ele tem 23anos e não trabalha em nada, não ajuda em nada pra ajudar nas despesas de casa, quer tudo nas mãos e nao retribui em nada, é muito ingrato, e nao se toca que tudo que come, assiste e usa é meu.