Toque da ruína

hum, como começar… eu realmente gostaria de falar com um padre, gostaria de mostrar a ele minha verdadeira face. mas isso nao faz parte da confissao, ate por que, envolve muitas coisas complicadas.
so queria contar. simplesmente falar. minha vida nunca foi facil. a de ninguem é. eu me sinto estranha com isso. Eu tenho algo chamado toque da ruína. Tudo que eu toco se destroi. antes que digam, “ahh isso é so coisa da sua cabeça” eu consigo destruir as pessoas. quando entro em uma familia a desestabilizo. todos começam a brigar e mostrar o que realmente são, e tenho q admitir. eu gosto do que faço. gosto de levar as pessoas a mostrarem suas verdades. Tenho o dom para arrancar o pior lado das pessoas. elas proprias me mostram.
mas sinto vontade de machucar de verdade certas pessoas. elas merecem. nao sinto culpa por isso. nao me sinto mal. e nao, nao tenho a capacidade de gostar de verdade de alguem por um longo tempo. eu perco o interesse nas pessoas por que elas são todas iguais e mediocres. os poucos q eu acho interessantes se mostram os mais despreziveis. Sempre pedem meu corpo, sempre querem possuir algo de mim. e sinceramente? eu desejo que eles sofram. por serem tao imundos comigo. nao tenho nenhum problema em fazer sacanagens, ate gosto, mas tem pessoas que sao imundas e veem isso de uma forma diferente. todas na verdade. bem… é isso. gostaria de compartilhar com voces, que eu estou por ai. e que vou destruir tudo de quem nao merece essas coisas. ^^

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

1 Comentário

  • Salve Maria,

    Irmão, quando nós levamos o mal para o mundo é porque o temos dentro de nós. Quanto mais somos maus por dentro, pior seremos para o mundo e mais afastados da Verdade e da salvação estaremos.

    Não existe “toque de ruína”. Existe distanciamento da Verdade de Deus. E você está distante dela… Pelo que dissestes, tu te sentes feliz com o mal alheio e não se vê pecando ao incorrer neste erro.

    Primeiramente você deve fazer um exame interno e observar que esta ruína não é mais do que espelho de uma ruína eterna. Lhe falta amor e paixão, em todos os sentidos. Você está vazio e encerrado em si, não tem amor por ninguém (nem mesmo por ti) nem aquele fogo ardente que é a paixão pelas coisas de Deus.

    Buscai enxergar tuas falhas e ver que tudo que fazes não passa do espernear de uma criança que ainda não aprendeu a andar e chora no intuito de fazer com que, através da atenção alheia, alguém vos dê o que comer. Mas fazes pior, comes a felicidade alheia por não teres a tua.

    Disse Jesus:

    “Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha.”

    E é isto que deves ser. Se tens a capacidade dada por Deus de ver as falhas de teus irmãos, sejais luz para o mundo deles e os auxilie a enxergar os erros e as falhas, de tal forma que sejam capazes, eles mesmos, de trabalhar seus erros.

    Sejais sal no coração dos homens para que, ao invés de semeares a amargura, possais encher de sabor a vida de teus irmãos.

    Buscai em ti a luz divina e trata de fazer um longo exame de consciência. Verás que se não consegues realmente deixar de fazer o que fazes é porque trocastes a tua felicidade, que vem de Deus, pelo vício, que vem do mal.

    Rogo a Deus que vos proteja e garanta vida longa para que possas, ainda aqui no mundo, arrepender-vos de vossos pecados.

    A você, peço-lhe, por favor, que procure um padre e entregue a confissão de seus pecados. O senhor é misericordioso e perdoará os teus erros.

    Que nosso senhor Jesus Cristo, vos garanta a paz eterna e vos abençoe em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!