Eu sonho acordada!

Olá. É difícil ter que falar sobre isso com outras pessoas e pedir para ir a um psicólogo ou psiquiatra, acho que minha mãe me diria que o que tenho é normal e não me levaria, e também não quero me expor. Por esses motivos estou aqui. Meu nome é ***** e tenho 17 anos, ou seja, sou uma adolescente e imagino que isso vá ser levado em conta (geralmente é o que as pessoas dizem! :P). Eu tenho mania de imaginar outra vida. Eu escuto música (geralmente agitadas) e fico dançando, falando sozinha com amigos. Eu imagino que tenho um namorado e amigos. Estamos sempre conversando, fazendo algo legal e sou o centro das atenções. Esses amigos são pessoas que conheço, estudam comigo ou que já ouvi falar (algumas inclusive moram em outro país, mas não sabem da minha existência – eu tenho um amigo inglês e incluo ele e os amigos dele que fucei no facebook nessa história louca). Eu geralmente faço isso quando estou a toa, mas as vezes quando preciso estudar, tenho dificuldade de me concentrar, fico com uma ansiedade muito grande e tenho necessidade de imaginar as coisas. A parte do namoro eu acho que posso compreender – sempre quis muito ter um namorado. Mas a parte da amizade é que eu não entendo o por que. . . eu tenho amigos na escola, pessoas próximas. Acho que no fundo não incluo eles nos meus “sonhos” por que acho que não são descolados o suficiente para a situação que quero imaginar.
O meu comportamento nos meus “sonhos” é bem diferente da vida real. Eu não sou uma pessoa introvertida, eu falo com os outros normalmente e tenho uma boa relação com toda a turma, no entanto, não tendo a querer ou a mostrar que quero ser o centro das atenções (no mundo real). Só faço isso nos meus sonhos.
As vezes penso que perco bastante tempo imaginando esse mundo… cada rapaz que conheço e venho a me interessar entra no meu mundo. Eu fuço a vida da pessoa e uso seus amigos e informações, suas vivências para “incrementar” os meus “sonhos”. Eu melhoro minhas vivências e as vivências dos outros nas situações que quero viver. Acho que estou vivendo a vida de outra pessoa ao invés da minha, vivendo o que gostaria de ser e fazer. Meus sonhos ultrapassam a fronteira até do nosso próprio país.
Venho fazendo isso desde 2011 e sei que não sou a única, mas quero parar. Eu pesquisei na internet (e através dessas pesquisas encontrei o site) e vi que outras pessoas fazem coisas parecidas: usam música e imaginam outro mundo, com pessoas que conhecem direta ou indiretamente. Eu não sei o que me levou a isso… só sei que quando eu comecei, em 2011, estava sobre uma grande tensão para fazer o vestibular para escolas técnicas.
O que eu gostaria de saber é:
1- isso é normal?
2- há alguma maneira de parar? (eu quero parar mesmo que seja normal)
3- devo procurar um psicólogo ou psiquiatra?
4- podem existir outros motivos para o que estou fazendo (disseram, nas minhas pesquisas, que isso era uma maneira de escapar da realidade)?

Por favor, fale se tiver outra coisa a comentar. Espero sinceramente que possa me ajudar. Gostaria de ressaltar que sei diferenciar a realidade da fantasia e que consigo realizar as minhas tarefas, isto é, esses “sonhos” não dominam a minha vida. Sei quem eu sou e onde estou quando estou fazendo isso. Tenho plena consciência de tudo a minha volta.
Eu estudo muito, sou bastante aplicada e tiro notas boas. Agora estou em ano de vestibular e quero prestar medicina, então estudo mais ainda. Tenho pouco tempo para sair e me divertir. Além disso, meu pai e minha mãe não gostam muito que eu saia (quando eu era mais nova, eu sofria muito por isso, não me achava “descolada” por que não podia ir a lugar algum). Agora eu já me acostumei com o fato deles não deixarem eu sair muito. Comecei a usar esse tempo livre para a estudar e tomei gosto pela coisa… como uma forma de não ficar rancorosa por não poder passear com amigos. Será que a parte da vida social que eu deveria ter, estou tentando conseguir através desses sonhos? Por que foi em 2011 que comecei a ser realmente estudiosa e esquecer a vida social…. e foi quando tudo começou. As vezes penso que depois que o vestibular passar e (se Deus quiser!) eu conseguir ser aprovada vou poder ter um pouco mais de vida social… já que estarei na faculdade e encaminhada para um futuro profissional. Mantive esse pensamento durante o ensino médio inteiro… tenho medo de curtir agora e me arrepender por não ter um bom emprego depois. Se por um lado eu consigo me sair bem nas provas por fazer isso, por outro acho que minha mente está sendo seriamente afetada. Muitas vezes penso até que não nasci para ter uma família, amigos e uma vida social agitada… penso mais que nasci para o trabalho e para a vida acadêmica. E isso é horrível… :( Me ajude por favor! Não quero ter esse tipo de crise em ano de vestibular!
Um grande abraço.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

231 Comentários

  • eu tenho 16 anos e tenho isso desde de que me lembro, sempre imagino coisas que eu gostaria que acontecessem na minha vida (tipo, coisas impossiveis) “acontecendo” e fico feliz como se fosse real, também me imagino como uma celebridade cantando dando entrevistas, e as vezes quando estou ouvindo uma musica eu imagino como se a musica fosse minha e eu estivesse cantando ela, já tentei parar e o maximo que eu consegui foi uma semana, depois voltou, eu sempre faço isso na esteira ou tomando banho ou no carro ouvindo musica, alguem sabe como fazer isso para para sempre?

  • Eu tô sofrendo do mesmo mal. Sempre faço isso à noite, antes de dormir. Imagino várias situações com pessoas específicas, eu me movimento como se eu realmente estivesse vivendo aquilo. No meu caso creio que seja a necessidade incontrolável que eu tenho de ter essas pessoas de volta na minha vida. Sempre nessas situações eu tô muito mais feliz do que sou no dia a dia. Queria saber como controlar isso sem ter que ir ao médico. E é muito difícil passar por isso sem contar pra alguém, tenho certeza que achariam que sou louca.

  • Como é difícil ser assim! porque parece bom enquanto estou criando e “Vivendo” a personagem, mais acabo fugindo de algumas obrigações. Por algum tempo consegui me livrar deste devaneio, mais a um mês voltei a ter, e conhecidentimente ele só veio após eu parar de tomar anticoncepcional desconfio que comido tenha alga haver com meus hormônios, porque minha personagem é sempre linda, querida e apaixonante, eu já tentei imaginar ela de forma inversa, mais não deu certo a historia fica sem graça para mim.
    Para consiga parar uma historia eu tenho que pensar em um final feliz ou trágico sendo estes bem tristes criando assim uma sensação tão ruim que meu cérebro bloqueia e não quer retornar na historia, me deixando assim em paz por um tempo. Mas não é o certo a se fazer, o tempo em que parei eu não aceitava a situação, sendo assim toda vez que iniciava eu resistia, me distraia com outra coisa.

  • Meus Deus tenho 32 anos, desde dos 17 que eu lembre se não antes, quando estou sozinha vivo um mundo imaginário falo sozinha, fico imaginando uma vida diferente do que levo. Achava que isso era normal mas hoje percebo que não.Tenho uma filha e quando nós duas estamos em casa sozinha começo a sonhar e se ele vem me chamar que e normal de uma criança te chamar várias vezes, fico nervosa, estressada como se não pudesse concluir minha imaginação.Não sei o que fazer para controlar isso.Alguém já foi em psicólogos, o que falaram, conseguiram superar isso???