Enganei uma menina e depois me apaixonei por ela

Posted on

Tenho 29 anos, estou namorando há cerca de 7 anos. Não tenho do que reclamar do meu namorado, ele é muito carinhoso e presente em minha vida; em tantos anos já tivemos muitos altos e baixos e ainda nos amamos muito.

Ha cerca de oito meses atrás resolvi abrir o jogo para ele me assumindo bissexual. Expliquei que sentia muito tesão por ele e por outros homens, ao mesmo tempo que tinha tesão por mulheres. Ele me apoiou e disse que eu deveria ter uma experiência, somente minha para ver como era.

Comecei a procurar e conheci uma menina na internet, ela tinha 21 anos e parecia ser uma pessoa muito legal. Ela era virgem e tinha medo de me conhecer – para mim essa situação era confortável pois desse jeito eu “treinava” como conquistar uma mulher ao mesmo tempo que achava fascinante as diferentes armas de conquista que eu precisava utilizar.

Menti meu sobrenome, menti que era solteira e para encobrir os sumiços nos fins de semana, menti que viajava a trabalho.

Depois de dois meses conversando, ela tomou coragem e saímos. Foi uma noite legal, conversamos por horas e horas e no fim ela não quis ficar comigo, dizia que não sentia atração, que queria somente uma amizade. Consenti, sabendo que em poucos dias ela iria me procurar. E foi o que aconteceu.

Vivi por 4 meses um relacionamento paralelo. Para o meu namorado eu disse que nos encontramos algumas vezes, ficamos e depois terminei tudo. Era mentira, não tinha coragem e não queria me afastar dela e tampouco me separar dele, pois há tempos acredito que é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo.

Ficávamos seguidamente, nossa intimidade aumentava, eu conversava com ela quase todas as noites, senti que ela se apegava cada vez mais, porque afinal eu era atenciosa, presente em sua rotina e nunca a pressionei para perder a virgindade. E foi aí que vi que estava apaixonada por ela.

Na última semana o incômodo da nossa indefinição aumentou, ela começou a me pressionar para saber se eu queria namorar pois “afinal, a gente se fala todo dia, dorme junto, só falta apresentar pros amigos”. Eu fugia da pergunta e explicava que não queria magoa-la, que tínhamos muitas diferenças (de fato somos totalmente opostas: eu bebo, fumo e sou adepta do sexo sem compromisso, enquanto ela é virgem, odeia bebida e cigarro) que iam começar apesar com o tempo, que eu não tinha certeza se conseguiria ser fiel.

Ontem a noite ela tomou coragem, me chamou pra conversar e acabar pois ela estava apaixonada, cheia de expectativas, e sacou que eu não queria o mesmo que ela. Nós choramos muito, não pude falar a verdade, me limitei a dizer que não podia namorar pois éramos diferentes e no fim da história eu ia acabar magoando-a ainda mais.

Fui embora com uma sensação de alívio e muita tristeza. Sentirei muitas saudades dela, eu queria namorar e apesar de estar apaixonada, não posso pois eu a enganei demais e é um caminho sem volta.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *