Abortei e agora estou depressiva

olá, tenho 24 anos, moro junto com um homem casado, ele está se divorciando pra gente poder se casar e no mês de julho eu o traí, nesta traição engravidei… quando descobriu que eu estava gravida, inventei muitas mentiras e acabei falando a verdade. ele não aceitou a minha gravidez, me aceitava mas não aceitava o meu filho. estava feliz com a gravidez, mas ao mesmo tempo fiquei desesperada porque ele me mandou embora. depois de dias de gestação ele me deu o dinheiro e ele mesmo conseguiu comprar o remédio para eu abortar, abortei e agora estou depressiva, muito triste, arrependida de ter feito isso. eu deveria ter lutado para ter o meu filho sozinha sem ele, mas fui fraca, nao consegui levar em frente. preciso do perdão de deus, da misericordia dele e uma chance de viver em paz.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

7 Comentários

  • Com 24 anos e ainda não conhece o funcionamento de seu corpo?
    Agiu como uma menininha de 12 anos que vê um Pa_ pela primeira vez!
    E Entenda, homem casado nenhum, se separa da mulher para ficar com a “outra” essa da gravidez ele se sentiu aliviado, pois usou como motivo para não ficar com você, já que na cabeça dele só estava esperando mesmo um motivo para te dar o ponta pé na bunda e voltar a ficar com a esposa ou mesmo uma “outra pessoa, homens são assim mesmo!”
    E Você só se queixa de “perder o filho.” MAS e se você não ficasse gravida e ele se separasse da esposa mesmo, você se sentiria mal pela perda de uma família (se ele tem mais filhos com ela). Então essa culpa toda se resume em um única palavra: Hipócrita
    Afinal, SE você não tivesse “traído” esse cara que já é casado, não engravidaria! Na verdade, SE tivesse tomado conta de seu corpo, se prevenisse com camisinhas, pílulas indicadas pelo seu ginecologista (se é que sabe o que é isso!) ou mesmo pílula do dia seguinte, coisas que funcionam e bem, quando administradas no momento certo. Mas parece que você gostaria mesmo era de ter ficado grávida desse casado… (Mas ele ia dispensar e fazer a mesma coisa te oferecer aborto!). E você compactuou com isso, tomou o remédio, matou o feto e pra que chora agora? Teus erros foram grandes, desde o início, não é pedir perdão a Deus que vai trazer seu filho de volta e nem mesmo sua paz! A paz virá quando você deixar de ser trouxa! E ter conhecimento de seu corpo! Beijos e reflita! Mude suas atitudes e conhecimentos!

    • Ainda bem que o mundo está pleno de pessoas que sabem de tudo e podem orientar o resto da humanidade como você, Márcia. Gente que nunca errou, que nunca mentiu, que nunca pisou na bola, que nunca cometeu pecado e que pode atirar quantas pedras quiser nos outros, dar lições, lecture endlessly upon others.

      A pessoa vem buscar conforto, demostra arrependimento, e se depara com esses moralistas que, das duas, uma: ou são uns hipócritas, ou nunca viveram, nunca tiveram uma vida de verdade, nunca se arriscaram por nada nem ninguém. Que triste isso.

  • Disse Jesus: “Aquele que entre vós que nunca pecou, atire-lhe a primeira pedra”
    Acima de qualquer pecado esta a misericórdia do nosso senhor Jesus. Ninguém esta na sua pele para saber quais foram os reais motivos pelo qual você tomou essa decisão. Peça perdão a Jesus e faça boas ações. Jesus conhece nossos corações e se o seu arrependimento for verdadeiro ele saberá e te guiará para o caminho da luz. Fique com Deus!

  • Ao comentário do Edvaldo, eu só acrescentaria a confissão a um sacerdote, caso seja católica.

  • Querida, casos como o teu são comuns, embora muito graves. Você não fez por maldade, fez por fraqueza. Não é a única responsável, mas saber da culpa do teu parceiro não vai diminuir o teu sentimento de culpa. Você acredita em Deus, isso já é ótimo. Lembre que Jesus ensinou a perdoar infinitamente, então perdoe a você mesma e tenha a certeza de que Deus vai te dar a chance de compensar o mal do passado, com oportunidades de fazer o bem no presente e no futuro. Quem saber você não pode ser mãe um dia. Ou pode ajudar um filho sem mãe. ou ajudar uma mãe com dificuldades de criar um filho. É a prática do bem que vai te ajudar a apagar os conflitos da consciência…

  • Não sei muito o que dizer, a situação é complicada.
    Você deve se perguntar se conseguirá viver com esse homem que a “forçou” a abortar. Entre aspas, porque você quem tomou o remédio tbm tem culpa.
    Se você se arrepende, peça perdão a Deus. Ore e diga com sinceridade o que sente, ajuda muito.
    Se puder, procure um psicologo tbm. :)