Me sinto extremamente só

Olá. Meu nome fictício é Hector, tenho 17 anos e me sinto muito mal quando penso no futuro.
Meus meios-irmãos são muito mais velhos que eu (e já moravam fora de casa quando eu nasci), então cresci como filho único. Na pré escola e na primeira metade do ensino fundamental sofri bullying pelo meu nome e por ser baixinho (já cresci e estou na média de altura da minha idade), todavia tinha amigos fiéis e me divertia jogando bola ou videogame. Entre a segunda e a quarta série perdi o BV.

Durante a quinta e a sexta série pratiquei basquete graças à um projeto municipal (talvez a melhor fase da minha vida), e foi nessa época que conheci a minha primeira (e única) namoradinha, rs. Fiquei com ela durante 2 ou 3 semanas e acabei me afastando pois a “relação” estava ficando fria e eu era bem ciumento. Depois disso fiquei com mais uma ou duas garotas, sendo que ainda tenho uma lembrança bem vívida daquela época:

[estudava em um colégio perto de casa. Um colega meu havia combinado com uma garota para que nós ficássemos após a aula. A questão é que eu saí mais cedo, junto com um amigo (que hoje mora em outra cidade), e a minha casa ficava no caminho da casa dele (e meu pai conhecia ele). Meu pai acabou encontrando ele na rua e perguntou sobre mim: meu amigo dissera que eu já havia saído do colégio, só que eu não voltei para casa por ter que esperar a garota. Esperei-a, ficamos, e voltei feliz da vida para casa. Mas apanhei quando cheguei, pois meu pai não sabia onde eu estava, e provavelmente pensou que eu estava usando drogas ou algo assim.]

Depois de um certo tempo minha vida virou ao avesso. No começo não me importava com os estudos, mas na oitava série entrei em um cursinho para poder concorrer à uma bolsa em uma escola de alto nível (do ensino médio). No fim das contas, consegui a vaga e estudei de 2011 à 2013 nesse colégio (período integral, e 1h 30 de viagem). Tive uma quantidade razoável de colegas lá, mas não sinto saudades daquele tempo (era muito cansativo). Foi nesse período que passei pela primeira (e única) friendzone. Aquilo foi terrível.

Em 2013 fiz vestibular e hoje estou no segundo semestre da faculdade. Estou tendo um bom desempenho (passando em tudo) mas me sinto muito mal. Na faculdade não tenho NENHUM amigo (estudo à noite) e muito menos tenho chances de arrumar uma namorada. Moro sozinho com meu pai (minha mãe foi embora de casa ano passado, após passar por um período de depressão e afins), sendo que ele é idoso. Em resumo, minha vida é: ficar no computador durante o dia (jogando ou fazendo outras coisas) e estudar à noite.

Como não falo com praticamente ninguém e gosto muito de matemática, serei pesquisador e professor universitário, carreira que eu trocaria facilmente por qualquer coisa, desde que eu pudesse ter alguns amigos e uma companhia feminina. Aliás, me sinto só ao ponto de ficar com outro homem, se houvesse a oportunidade. A situação está tão feia que nem colegas eu tenho.

OBS: Duas amigas minhas já se apaixonaram por mim. A primeira vez foi na sétima série e a segunda em 2011 (primeiro ano EM). Em ambos os casos eu vivia um amor platônico por garotas mais velhas e simplesmente cuspi (metaforicamente) na cara daquelas que me amavam. Ambas eram medianas (em questão de beleza), mas eu (arrogantemente) não achei que elas eram do meu nível. Hoje me arrependo terrivelmente da besteira que fiz.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *