Louco por uma prostituta

Terminei um namoro de quase dez anos agora em Julho e semana passada transei com uma prostituta. Não foi a primeira vez que fiz isso, mas devo confessar que desta vez estou com vontade de procurá-la de novo. Cheguei ao ponto de pensar em ligar para ela novamente só para dar um oi, mandar um beijo e dizer que vou até o apartamento dela de novo, mas ao mesmo tempo acho que não devo fazer isso, pois afinal de contas o papel dela comigo foi de uma prestadora de serviço, como uma cabeleireira por exemplo. Só não quero sair perdendo nessa história. Comentários serão bem-vindos.

 

Reportar Sexo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

1 Comentário

  • Recomendo sair com outras prostitutas além dela, até encontrar uma mulher (prostituta ou não) ideal para casar.

    O que você deve entender é que o cérebro humano se apaixona com a única finalidade de fazer sexo por um período de tempo. Então, passada a paixão, você deve se perguntar: com quem quero ficar para sempre?

    Existe diferença entre paixão e amor. Paixão é forte mas passageira, ainda que dure meses. Amor é sutil mas dura a vida toda (para os românticos, dura até após a morte). O objetivo da paixão é apenas sexo, o objetivo do amor é um motivo para viver. O ideal é ter amor e paixão sobre a mesma pessoa, e geralmente a coisa começa com paixão e depois vira amor. O problema é quando a paixão se transforma em ciúmes ou ódio, o que é doentio.

    Enquanto não encontrar o “amor da sua vida”, pode transar e se apaixonar a vontade, mas sem a intenção de manter um relacionamento sério e sem deixar a paixão virar doença.

    Lembre-se: paixão pode ser intensa mas não é garantia de nada. Comprometer-se por causa de paixão pode gerar arrependimentos futuros (ou não, se tiver sorte).