Problemas com esposa bipolar

Sou um homem de quase 60 anos, casado a quase 17 anos com uma mulher bipolar, o que se tornou um problema muito sério. Minha esposa criou uma paranoia com a pensão alimentícia que pago para a minha filha, hoje com 27 anos. Já paguei advogado e passei procuração para a exoneração da pensão, mas nem assim minha esposa toma consciência que fiz tudo o que estava ao meu alcance. Ela tem crises terríveis, nas quais ela se refere à minha filha como vadia…..vagabunda….prostituta de quinta….puta de esquina.. Fala que meu irmão é um ladrão, que meu filho é um drogado. Meu filho, para que saibam, já se envolveu com drogas….hoje é advogado pós graduado em direito penal. Amo a minha esposa, mas esta doença que ela tem é terrível ! ! ! Quando começamos a namorar, ela e a falecida mãe dela me alertaram dessa doença, mas nenhuma me falou até que ponto isso poderia chegar. Nos últimos 8 anos houve sexo entre nós em duas ocasiões… mais nada. No momento, estamos passando por uma situação financeira difícil, mesmo assim, durante as crises, ela fala em divórcio… em me tirar tudo e que a pensão que pago para a minha filha vai passar para a mão dela. Ela nem pensa em como ela iria pagar o advogado. Não sei o que fazer, mas sonho em viver em paz e ter novamente o amor e o carinho dela, como tive e muito nos nossos primeiros 5 a 6 anos juntos. Se alguém tiver alguma sugestão ou conselho….ficarei muito agradecido.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

4 Comentários

  • Olá, Ivan. Passo pelo mesmo problema, estou casado faz 4 anos com uma bipolar também( tenho 40 e ela 33).

    Quando nos conhecemos ela disse que tinha o problema, mas não dei muita atenção. Logo quando nos juntamos, descobri que estava se queimando com a ponta do cigarro e tendo ideias suicidas. Fiquei desesperado, consegui convencer a ela fazer tratamento psiquiátrico e terapia. Ela melhorou muito, parou com a automutilação e as ideias suicidas.

    Então veio a pior fase( 3 ano), foi quando ela resolveu largar os remédios e terapia, não conseguiu mais trabalhar, acreditava que todo mundo era contra ela, e o negativismo reinava em tudo. Qualquer distúrbio desencadeava brigas dignas de novela das oito, precisava tomar cuidado com o que falava e fazia. Até que fui despedido no final do terceiro ano, ela começou a ter ataques de pânico e resolveu procurar ajuda novamente. Faz 3 meses que está medicada e achamos uma boa terapeuta. Ainda não voltou a trabalhar( não sou rico, longe disso), mas já comentou sobre a possibilidade de voltar, o que foi uma grande conquista.

    Meu maior sonho, é que ela consiga se estabilizar para ter a benção de um filho. Ainda está longe, mas tenho fé.

    O que posso dizer para você… Primeiro, é necessário que ela tenha noção do problema, o que o distúrbio faz com ela e com você, e segundo, a vontade de melhorar. O essencial, é o tratamento, não é possível uma pessoa viver( bem ) com transtorno bipolar sem a ajuda de pessoas que se importam, remédios e terapia.

    Ando lendo muito os casos de outros maridos com esposas bipolares, alguns relatos me levaram a refletir em 2 pontos:

    – Chega uma hora que a esposa parece ser uma filha. Fica extremamente dependente, deixando a pressão do dia a dia nas suas mãos…

    – Precisa existir um limite, pois, muitos maridos ou esposas de bipolares acabam sendo tragados por essa doença. É a parte mais difícil, ainda mais quando não se tem apoio da família. Eu mesmo, ainda nao encontrei este limite, mas não estou longe =(

    Abraços,

  • Agradeço sensibilizado pelas palavras. Vcs estão certos…amo minha esposa….tanto quanto amo meus filhos. O grande problema é que a bipolaridade tira da pessoa a consciência dos erros que comete…e das agressões que fazem sair pela boca, além do fato de não aceitarem o que se fala…..como também deturpam o que falamos. O que mais quero é ver minha esposa se dando bem… e muito bem….com meus filhos (que são do meu primeiro casamento) ,,,e também comigo. Ela tem um aneurisma cerebral e já ouviu de médicos e na televisão que não deve se estressar à toa….mas parece não entender. Respeito todas as religiões….fui batizado na igreja católica, hoje sou espírita…mas creio em Deus e Nele tenho fé ! ! ! Com Ele conto demais para ver as coisas voltarem ao que um dia foram. Um grande abraço…e fiquem com Deus ! ! !

  • Então… como eu poderia te ajudar? Sou só um cara de 20 e poucos anos… não vi muita coisa na vida, não conheço o que passam nem o que passaram, não sei me colocar na sua pele…
    Uma coisa, porém, eu te garanto. Você a ama de verdade. Porque em todo seu discurso você almeja felicidade e COM ela. A necessidade de estar com ela para ter a felicidade é muito clara e se é assim que se sente, posso te lembrar do que a bíblia nos fala sobre o amor:

    “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
    Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
    Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
    Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
    (1 Coríntios 13:4-7)

    Muitos dos meus amigos por saberem que eu sou cristão e leitor da bíblia me buscam por pedidos de oração, alguns me dizem que não sabem orar. Um segredo simples: orar é como conversar. Assim como você me contou como se sente, feche seus olhos num horario e num local que ninguém possa te encontrar. Esteja ali só você e Deus, então conte a ele como a um amigo tudo isso que aflige seu coração. Peça a Ele por soluções e o que sempre recomendo: dê permissão pra que Ele trabalhe na sua vida e na dela. Deus é um cara educado, bate na porta das nossas vidas, mas só entra no nosso coração se permitimos, só age em nossa vida se recorrermos a Ele. Apesar de saber melhor que nós o que precisamos, quer ouvir de nós que precisamos da solução que Ele tiver.
    No fim das suas orações, após confessar o que sente e pedir o que acredita que precisa diga ainda: “Deus, isso é o que eu acho que preciso, mas por favor, faça como o Senhor considera ser melhor pra minha vida, porque você é muito mais sábio que Eu e sabe perfeitamente o que é o melhor”.
    Ao se subordinar completamente a vontade dele, espere. Ele te surpreenderá.

    Graça e paz meu irmão. Que Deus abençoe a ti e tua esposa

  • Meu amigo, parabéns, muito lindo de ver, isso sim é amor verdadeiro, mesmo com a esposa “doente” e falando bobagens as vezes, vc não a abandona, pois a maioria só pensa em cair fora e desistir do casamento por qlq bobagem. Fiquei um pouco emocionado com isso viu. Ela tá certa sobre a pensão, mas tb acho que vc não dá só por ser obrigado (pois não é), mas sim pois lá no fundo também pq ama a filha e quer ajudar mesmo, certo! Pois se não fosse assim, vc mesmo teria dado um jeito de cortar essa ajuda há muitos anos. Interessante ver vc classificando como bipolaridade e não como depressão (que é mais séria). Essa “doença” é uma desgraça e amargura a vida de todos ao redor, a pessoa deixa de viver, não enxerga mais nada de bom na vida e não consegue enxergar que ela pode mudar e ser ainda muito feliz sim, dessa maneira ela vai até a morte assim. Enquanto ela aceitar isso nada resolve. É de dar dó né! Então, meu conselho é procurem uma ig. evangélica, vcs vão gostar, vão viver uma nova vida, procurem por Jesus, ela precisa ter fé, com fé em Deus ela poderá voltar a acreditar na vida e no amor de novo. E, meu amigo, tá de brincadeira né, tenho 46, quando eu tiver 60, espero estar fazendo sexo pelo menos umas 3 vezes por semana Kkkk, viver casados como irmãozinhos não dá né. Abç amigo.