Fui abusada na infância e isso afetou a minha sexualidade

Olá, tenho 20 anos atualmente e fui abusada sexualmente na infância, dos 6 aos 13 anos, por um primo. Nunca consegui superar isso, já fui a igreja, psicólogos, já conversei com meus pais e com várias pessoas sobre o assunto, mas não consigo tirar isso da minha cabeça. O problema maior é que desejo todas as pessoas que me rodeiam, meu patrão, amigos de trabalho, amigos do meu namorado… É como se a todo o momento eu ficasse imaginando como a pessoa é na cama e fico me exibindo de forma discreta para ela. Eu não sei como lidar com isso, chego até a ficar olhando para as partes sexuais da pessoa, imaginando se é grande ou pequeno. Quando uma amiga vem me contar que seu namorado é bom de cama, quando o vejo, fico me imaginando com ele. Do abuso sexual, eu consigo falar com algumas pessoas, mas dessa minha “tara” por todos, nunca tive coragem. Será que essa minha “tara” se deu por causa do abuso? Heeeeeeeelp, pois não aguento mais me imaginar na cama com todos os homens que me rodeiam.

 

Reportar Sexo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

17 Comentários

  • preciso de ajuda. minha namorada foi abusada quando pequena ,dos 7 aos 13, e isso mexeu muito com a sexualidade dela. ela se tornou ninfomaniaca. eu a amo muito, queria poder ajudala. me doi pensar q ela pode estar imaginando senas de sexo com as pessoas q nos rodeam. se alguem puder me dar um conselho de como posso fazer pra reverter isso eu ficaria muito aliviado. nao quero acabar terminando o relacionamento por conta disso obg :(

  • eu fui abusada os 9 e estuprada aos 13. fui abusada varias vezes e estuprada 5 pela mesma pessoa. todas as vezes ele me ameaçava com um revólver, então eu nunca contei pra ninguém. só fui contar quando fiz 18 e hoje faço tratamento com psicologa. eu tenho hoje, vontade de transar quase que 24h por dia. no último mes eu sai com 10 homens e transei com 4 deles (mais de uma vez.. sai mais ou menos umas 5x com cada um, e um pouco mais que isso com um específico). eu conto sobre o estupro pra eles por que mesmo com vontade eu tenho um certo medo. é complicado, as vezes nem eu entendo o que eu sinto de verdade

  • Quero confessar que penso em sexo o dia inteiro! Adoro assistir filmes porno com lesbicas e zoofilia ate, mas consigo gozar apenas me masturbando,tenho que me masturbar no minimo 5 vezes ao dia,para piorar meu namorado nao gosta muito de sexo,estou quase enlouquecendo

  • Flor, sou exatamente como você se descreveu e nunca fui abusada, não sexualmente rs, creio que esse trauma que carrega apenas “adiantou” sua sexualidade, não foi a causa, infelizmente nós mulheres somos reprimidas e quando alguma “age como homem”, já acha que é doença! bjkas

  • deixa de ser burra mulher e vai curtir a vida, ate pq nao vai dar p/ voltar ao passado p/ corrigir o que tu passou, se der p/ foder com a vida do seu primo, manda ver, se nao, poe uma pa de cal nesse assunto. se vc tem tesao, foda-se o corpo e seu e nao ha nenhuma culpa nisso assim como nao ha culpa sua pelo o que ocorreu no passado, se vc tiver vontade, nao se reprima e nao deixe que o passado te enterre viva, teu primo abusou do te corpo e nao da sua alma, entao viva mulher cada dia de sua ama ate pq o tempo i passar a idade chegar e vc vai ficar nessa sofrencia de sentir culpada ao mesmo tempo que deixou os melhores tempos da sua vida reprimido por causa de um filho da puta inutil que nem sabe o que e uma mulher. qdo vc tiver daquele jeito, fode gostoso com o teu namorado, inventa fantasias, deixa ele abusar de vc e vice versa, e depois ao inves que ficar lembrando do passado, curte o momento como se fosse o ultimo.

  • Nossa, também me sinto assim, pois fui abusada com 5 anos de idade, por um vizinho, ele me obrigou a fazer oral nele, tive muitos problemas, chorei muito e não entendia pq sentia a culpa, fiz tratamento psicológico, mas nunca parei de olhar as partes íntimas das pessoas e imaginar coisas, isso me perturbar.

    • Olá Fabi, tudo bem?
      nossa minha esposa também sofreu o mesmo, mas o efeito foi ao contrario, vou le contar minha historia.
      Meu nome é Paulo tenho 27 anos e morador do Rio de Janeiro.
      Não sei se digo infelizmente ou felizmente, Sou VICIADO EM SEXO, penso em fazer sexo de manhã, tarde e noite
      sou casado a 09 anos, minha esposa tem 29 anos mas infelizmente ela sofreu um ABUSO quando criança e isso deixou meio traumatizada em relação a sexo, TRADUZINDO ELA NÂO GOSTA!!! nós brigamos muito quase sempre porque ela me deixa as vezes 1 semana sem sexo, ai eu fico loucooooooooooo dando cabeçadas nas paredes, eu adoro falar e ouvir PUTARIAS, mais nem isso ela aceita e quando eu começo a querer fazer ou a falar ela me chama de DOENTE, “Rsrsr” estamos juntos a 09 anos e ela não conhece esse meu outro lado, ela só quer fazer AMOR enquanto eu quero SEXO
      Eu a amo e não tenho duvidas disso mas por essa falta de vontade da parte dela eu já fiquei com algumas outras mulheres, atualmente eu estou conseguindo segurar a onda mas não sei ate quando.
      Bom gente esta aqui o meu desabafo, ACEITO SUGESTOES!!!

      • Paulo, não sei se ainda está com sua mulher, mas caso esteja, saiba que você deve se mostrar compreensivo e levar em consideração não apenas suas vontades sexuais, pois o trauma que um abuso sexual gera na vida de uma pessoa é devastador. E não tenha dúvida que ela te ama, de certo ela tem vontade de querer lhe satisfazer e fazê-lo feliz, mas não consegue por conta do bloqueio que essa situação do oassado gerou na vida dela. Fostaria de deixar mais um toque: não a deixe saber dessas puladas de cerca, e se ela já dabe de alguma, não deixe ela ter conhecimento de mais alguma caso venha a acontecer. Ela só vai se sentir culpada e imensamente triste, sem ter a o que ou quem recorrer. Tente oferecer apoio, pois amor e um obro são extremamente necessários nesses casos.

        Um abraço de coração à vocês dois

  • Tenho uma historia parecida (sofri abuso, uma vez so quando tinha uns 9 anos ou 10 anos, pelo primo de uma vizinha que tinha uns 16, me obrigou a masturbar ele e fazer oral, nao teve penetracao) e tambem afetou minha sexualidade, porque sinto o mesmo que você quase o tempo todo! E pior é que gosto das sensacao e faco coisas ‘inadequadas’, ja contei aqui no site mas nao publicaram.. Psicologia e uma coisa incrivel.
    Mas sobre seu caso, acho que voce deve se cuidar, se isso te incomoda controle seu fogo e nao saia fazendo tudo com todos, pode ser muito perigoso.

  • Olá,

    O amor é um aprendizado. Toda a trajetória pela vida é marcada pelo amor que apreendemos/recebemos e oferecemos de volta as pessoas.

    Não tenha medo, mas a violência e a compaixão são frutos que se entrelaçam em uma raiz de energia única.

    A mesma energia que dá a vida também tira, o mesmo desejo de amor que é capaz de grandiosas doações é capaz de enormes atrocidades.

    No início da sua caminhada pela vida vc conheceu a pior faceta da perversão humano, por um comportamento egoísta vc foi roubada de forma muita cruel.

    A pequenina menina deveria ter apreendido o prazer da confiança, da admiração que se estabelece com os adultos que participam de sua vida, mas não foi assim…

    Para a menininha o abuso tornou-se o sentimento preponderante no caminho da vida. Sua vida emocional ficou embotada e confusa.

    O mau lobo tirou sua capacidade de confiar, de estabelecer uma relação de amizade, e reduziu seus sentimentos a uma cela escura e fria, um calabouço em que vc se encontra sozinha com suas emoções subvertidas.

    Todos os homens que vc deseja são cada um deles uma emoção que vc não desenvolveu. Seus amigos “sentimento de amizade”, seu patrão o “sentimento de confiança e admiração”.

    Como foi lhe tirado tais emoções positivas vc confunde estes sentimentos com a emoção que envolve o enlace da relação de abuso.

    Veja, todos estes homens tem a mesma energia única da vida que pode ser boa ou má, a relação que vc estabelecerá com eles norteará esta energia. Se eles identificarem sua fragilidade decorrente do abuso, poderão também tornarem seus abusadores.

    Agora, se verem o seu coração, pelas emoções puras colocadas aqui, estes homens serram seus amigos, confidentes, e, quem sabe, heróis dos momentos de angustia.

    Faz o seguinte exercício de imaginação: enquanto ainda pequena se encontrava a sós com seu lobo, vc adulta entra no recinto, seu primo se envergonha e se dissipa, vc estende sua mão para pequenina e a retira de lá com calma e de forma assertiva, limpa sua lagrimas e diz pra ela: está tudo bem, vou cuidar de mim.

    Cuide dela…

  • Marcia GraçasMonteiro

    Kkkk Olha eu não fui abusada e sou exatamente como se descreve. Não acho isso ruim, é só escolher o cara certo para se satisfazer. Enquanto com os outros vai só sensualizando e mais nada. Tenho 28 anos e nunca julguei a mim mesma, vivo a vida que quero e sou feliz assim. Relaxa. Boa sorte. Beijos

    • Achei que só eu fosse assim, rs! Agora fico mais tranquila… Porém, vou te contar uma historinha, rs. Conheci um cara, e ele é tudo de bom na cama, me satisfaz completamente. Um belo dia fomos ver aquele filme 50 tons de cinza, e ele quis fazer comigo o que o cara do filme faz (mas ele não me bateu, somente fez com “força”, me amarrou e tapou meu olhos). Foi o melhor sexo da minha vida, senti prazer em todos os momentos, porém, depois de algumas horas, eu só conseguia lembrar do abuso sexual que tive na infância. Comecei a sentir nojo do rapaz, hoje ainda tenho relações com ele, mas não é legal. Fico confusa nesses sentidos! :( Que bom que você consegue viver em paz assim, e obrigada pela atenção.

      • Marcia GraçasMonteiro

        Bom! Quanto ao abuso sofrido, não sei te dizer, mas se você conseguisse deixar isso lá no passado, não ficar comparando com as transas que tem seria melhor! Sei que é um pensamento involuntário, que vem e te transforma, fazendo todo aquele prazer, se transformar em nojo.. mas acho que só uma psicóloga poderia te ajudar. (falei sim psicóloga, pois as mulheres se entendem mais e não teria medo do “homem”) Beijos boa sorte (Gostei da historinha estilo 50 tons.. rs isso ai!)

  • T

    saudações.

    Vc deve estar mesmo condicionada, de forma que toda a relação com os outros se dê apenas pela perspectiva do sexo.

    Para superar tal situação, convivendo com ela sem que ela lhe domine, é necessário ‘olhar nos olhos’, isto é, assumir que existe.

    Terapia e confissão pessoal com um padre ajudarão muito. Não há necessariamente milagre instantâneo, mas paz no Caminho…

    • É o que mais preciso… Paz no caminho! Essa questão me incomoda muito, principalmente de desejar o meu patrão, que está ali a toda momento do meu lado., não tenho coragem de falar pras pessoas isso, quem dirá um padre :X Não sei nem como começar a falar isso pra alguém.