Fui abusado na infância

Oi

Tenho 19 anos, sou homem. Fui abusado quando tinha 5 anos por um vizinho, eu não lembro em detalhes o que aconteceu, mas isso me deixou traumatizado. Atualmente tenho sérias dificuldades de me relacionar, principalmente relacionamentos amorosos. Ainda sou virgem, já tive mtas chances de conseguir alguém, mas desperdicei. Sou hétero, mas não consigo me relacionar com mulheres.

Na 3ª série eu era mto problemático, chorava mto, tinha medo de virar homossexual e chorava na escola. Meus pais tentaram me ajudar, frequentei psicólogos e com o tempo até fui melhorando. Porem, na 5ª serie comecei a sofrer bullying pq tinha orelha de abano, aquilo só foi acumulando com os traumas passados, chegava da escola e chorava mto, pensava em suicídio, me sentia rejeitado, diferente. Tive poucos amigos e depois me afastei de todos.

Fui levando, encontrei refugio em jogos online, onde eu podia ser igual a todos, podia viver uma vida diferente da qual eu gostava.

Em 2013 eu decidi tentar mudar, comecei a frequentar academia, minha autoestima começou a subir, dps fiz cirurgia de orelha de abano. Comecei a trabalhar em uma loja de informática. Mas não sei o que acontece, parece que vem um ‘vento’ e derruba tudo o que conquistei, provavelmente por ser covarde, preguiçoso e sem ânimo pra viver. Larguei academia, larguei o emprego, larguei a escola e novamente me isolei em meu quarto. Minha família tenta me ajudar, dizem para eu sair com amigos(mas n tenho amigos), dizem pra arrumar uma namorada (nunca me relacionei com mulheres). Sou um fracassado que parasita minha mãe. Engraçado que tenho uma auto estima boa, me acho bonito, não tenho mais orelhas de abano, sou magrelo, mas não como antes, sou alto. Mas sei lá, nada disso importa, não tenho vontade de tentar mudar, nem vontade de viver…

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

6 Comentários

  • Fui molestado com 5 anos de idade. O molestador era um moleque de uns 17-18 anos. Ele me oferecia brinquedos e depois me obrigava a fazer oral nele, mas na época eu nem sabia o que eu estava fazendo. Só fui ter noção do que aconteceu comigo uns 4 anos depois, quando eu vi um caso parecido na TV. Além disso, perdi também minha mãe pro câncer em 2009 e no mesmo ano desenvolvi uma doença degenerativa nas córneas, que me faz enxergar muito mal. Agora em 2016, estou com os mesmos sintomas do câncer que matou a minha mãe. Talvez a morte seja um livramento para mim, pois Deus não me defendeu em 1998 quando sofri o abuso e não curou minha mãe em 2009. Gostaria de estar enganado, mas meu coração vazio não insiste em se apegar a esperanças.

  • Também passei pelo mesmo. Se quiser conversar, me adiciona no face http://facebook.com/diego.malyverdne

  • Eu passo pelo mesmo. Mas ao contrário do vizinho, foi o meu amigo de infância que me obrigava e passava uma boa visão daquilo. Também a minha vó me trancava em um quarto com uma faca falando que iria se matar. Depois de perder todos os meus amigos, me isolei do mundo; com apenas 12/13 anos, reprovei 4 anos na escola por causa disso e estou prestes a reprovar novamente. A única coisa é que eu nunca fui à um psicólogo, à cada dia a minha vontade de viver só diminui. Vi que você é ligado à música, isso é bom.

  • “tenho um amigo qconheci um cara que foi obrigado”
    Corrigindo: tenho um amigo que foi obrigado. Ia mudar a frase (porque ele ainda é meu amigo, não só um conhecido) e apertei Enter sem querer kkkkkkkk

  • Por mais que a gente faça tratamento, coisas assim ficam no nosso inconsciente, qualquer distração e os sintomas voltam. Homens tendem a se fechar, tenho um amigo qconheci um cara que foi obrigado a masturbar um cara quando era pequeno e ele tinha os mesmos sintomas que você: não era gay, mas não arrumava namorada porque sempre perdia o ânimo, tipo medo de rejeição.

    A única coisa que digo é: a cada dia é uma batalha, então siga firme, trabalhando, estudando, fazendo suas atividades, porque as coisas mudam rápido. De repente você está isolado, e em seguida está frequentando algum lugar e conhecendo alguém. O importante é arrumar algo pra fazer que te obrigue a sair. O resto vem naturalmente.

  • Amigo, o que os outros acham e pensam não importa. O que você sente? O que você gostaria de fazer? Siga o seu coração. Você é forte e é o que é agora graças a tudo que você passou, passe por cima desse medo também. Homem ou mulher, faça o que você quiser fazer. Sugiro que você volte ao pscicologo para ele te auxiliar nessa. Você vai vencer isso! Você tem saúde, o resto você consegue! Paz!