Vivo uma vida paralela na minha cabeça

Ok. É meio difícil de explicar isso, mas vou tentar esclarecer. Nunca confessei e nem conversei com ninguém em relação a este assunto… Já faz 5 anos que passo por isso, vivo uma vida totalmente diferente na minha cabeça. Crio coisas diferentes das que estou acostumada. Crio personagens, pessoas diferentes, com nomes diferentes, vidas diferentes… Eu não transmito isso para a realidade, mas geralmente penso bastante quando estou sozinha em casa ou em outro lugar calmo e sem muita gente, as vezes no banho e quando estou caminhando. Eu meio que me “desconecto” um pouco da própria realidade. A vida que levo é completamente o oposto da que imagino. Em minha cabeça, crio tudo que não tenho de verdade. Por exemplo, nesse meu “mundo” já tenho namorado, sou financeiramente instável, maior de idade, com pessoas legais por perto e ainda tenho identidade diferente… É como se eu tivesse criado um personagem igual aqueles do jogo The Sims, sabe? Mas, ultimamente, tenho refletido no assunto e será que estou agindo certo? Isso seria normal? Talvez ruim? Devo dizer que isso não atrapalha meu cotidiano, levo tudo normal, mas é uma alternativa para esquecer certas coisas.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

9 Comentários

  • Exatamente o que eu tenho! O meu mundo imaginário me deixa muito feliz, pois posso ser o que quiser e fazer o que quiser. Faço tudo que eu quero fazer e sou o que quero ser.

  • Eu tenho 44 anos e desde os 12 anos me vejo envolto em vidas paralelas. São minha válvula de escape pois, nelas simulo situações que me agradariam muito vivê-las realmente. Isso vai mudando de acordo com a maturidade, novas situações, novas formas de paralelar, novas pessoas, novos desejos, novos diálogos. Eu particularmente gosto muito, pois me permite ser quem eu quiser, ter o que eu quiser, viajar pra onde for. E não interfere em nada na minha vida real. abraço à todos os Paralelos

  • Eu também faço isso, às vezes tenho medo de estar pirando ou algo assim, também nunca contei a ninguém, mas como você falou essa minha ”vida” não interfere em nada no meu mundo real

  • Achei que éramos poucos mas pelo visto não

  • Acho que todo mundo é assim, ninguém é feliz por completo o tempo todo e essa fuga da realidade ajuda-nos a driblar um pouco o tédio. Creio que imaginar coisas que desejamos viver ajuda a atrair tais coisas. Então continue sonhando com sua vida dos sonhos rs

  • Olá, confesso que li a sua confissão e fiquei um pouco espantada, pois passo pela mesma situação e achei que fosse a única.
    Bom, tenho 20 anos e oque eu pude perceber dessa minha imaginação é que eu não sou oque eu gostaria de ser realmente, vivo em um mundo melhor na minha cabeça e isso me faz bem mais esqueço ou não qurro viver mais no mundo real. Espero q isso n te afete futuramente.

  • Eu também sou assim, principalmente na aula. Estou tentando me distrair con outras coisas para ver se paro com esses hábitos pois só está me fazendo viver uma realidade que não existe, enquanto. a verdadeira realidade acontece..

  • Olá! Li sua confissão e fiquei bem curiosa. Sou aluna de filosofia e estudo bastante psicanálise, então acho que seria interessante tentar ajudar em algo :)
    Bom, inicialmente, você deve se perguntar uma coisa: por que você criou essa vida paralela na sua cabeça? Você está insatisfeita com a realidade e quer fugir dela? Você se sente entediada e só achou que isso fosse uma maneira interessante de sair do tédio? Você se decepcionou com alguma pessoa e quer suprir isso num “mundo perfeito”? A questão principal é: houve algum marco na sua vida, em algum momento, que te impulsou a criar esse mundo paralelo? É importante que você saiba porque criou esse mundo, assim você conseguirá sair dele.
    Depois: por mais que isso não te faça mal e você consiga discernir realidade de imaginação, pode chegar um momento em que você fique presa demais a esse mundo, não conseguindo de jeito nenhum viver a realidade, então é importante que você se livre logo disso. Na adolescência, é normal que a gente passe por coisas que nos decepcionem e deixem pra baixo, o que deixa aberta a possibilidade de escape. No seu caso, o escape apela pra imaginação.
    Se você cria essa vida paralela em que você namora, tem uma boa situação financeira e etc (diferentemente da sua vida real), por que não tentar alcançar essas conquistas na realidade? Quem sabe se vc não arranjar um namorado, novos amigos, arranjar um emprego, você deixe de sentir essa necessidade de possuir um mundo paralelo e perfeito? Mudanças geram mudanças. Talvez a sua vida paralela esteja relacionada à falta de alguma coisa na vida real. Por que não buscar isso? Existe algo que está faltando na sua vida? O quê? E como buscar?
    E como você disse que tem isso há 5 anos, acho válido procurar a ajuda de um psicólogo. Não é coisa de doido nem nada, mas conheço várias pessoas que também criaram uma realidade paralela e não conseguiram sair. Por mais que não incomode agora, vai incomodar uma hora, e você tem que resolver isso antes que te impeça de viver :)
    Comentários superficiais, mas espero ter ajudado! Beijos!

  • Nossa, cê tirou palavras da minha boca. Eu queria postar sobre isso também. Eu faço o mesmo, sempre que estou sozinha, eu sou outra pessoa.. Finalmente encontrei alguém como eu. Eu não sei se é normal. Isso realmente afeta um pouco o meu quotidiano, pois nessa vida paralela, eu sou tudo que eu gostava de ser e não sou, então sofro um bocado.