Roubei o emprego de um amigo

Tenho 30 anos e fiquei desempregado. Quando concluí os estudos, acumulei o part-time que já tinha na empresa da família com um part-time na minha área de formação. A minha área de formação foi ocupando cada vez mais tempo até que o ano passado me chamaram para um trabalho a tempo integral mas, no final do ano, disseram que só teriam hipótese de me manter em part-time mais uma vez. Sabendo que acumular um part-time na empresa da família não poderia ser uma situação definitiva (este ano até seria insustentável), percebendo melhor o privilégio que é poder estar com a minha família todos os dias, procurando um compromisso de trabalho a tempo inteiro e buscando desesperadamente não ter mais uma vez “dois senhores” decidi voltar para a empresa a full-time.
Para voltar à empresa, teria de despedir um empregado que considero ter muito mais experiência e saber que eu. A empresa não poderia sustentar mais um ordenado e não precisa de outro posto de trabalho.
Vou ficar responsável pelos clientes que ele visitava e, para que fosse evidente que estava uma pessoa a mais na empresa, passei a acompanhá-lo sempre no seu dia de trabalho. Sabia que se iria sentir vigiado e pressionado e, finalmente, reconheceu que a situação não poderia continuar. Chegámos a acordo sobre a saída dele com indenização.
Sinto-me culpado, vendido à necessidade de me sustentar e injusto com o meu colega que considero amigo. Sinto que o manipulei, que perdi inocência e o sonho que se fizermos o nosso melhor chegará para todos. Sinto que preciso de perdão mas também sinto que não tenho alternativa.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *