Estou na profissão errada

Escolhi fazer medicina, muito pressionada pelos meus pais e pela sociedade que exige que a pessoa tenha dinheiro para ter felicidade. Enfim, fato é que até o presente momento tive mais stress do que ‘felicidade’ apesar do dinheiro. Gasto metade do meu salário com técnicas anti-stress: massagens, academia, até medicamentos. Tenho vontade de mudar do país e começar minha vida do zero lá fora (outro país), outra profissão, algo voltado a arte, fotografia ou mesmo criação virtual, tudo para simplesmente ter uma desculpa pros meus pais.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

7 Comentários

  • Mulher, larga essa porra! Esquece esse papo de sociedade, teus pais, dinheiro… Se não gosta, sai disso, vá fazer o que tu gosta. Quando tu tiver fu-dida com depressão ou outra doença, à sociedade, seus pais, amigos, parentes ou seja lá quem for, não vão estar nem aí pra você! Eu sou motorista de ônibus, ou seja, estudei pouco, mas gosto do que faço. Não estou nem aí pro que os meus pais, amigos, sociedade, parentes queriam que eu fosse. Sai dessa, com o tempo eles aceitam a sua decisão. Faça o que te faz feliz!

  • Acho que a maioria das pessoas não tá feliz na profissão. Essa é a mais difícil de largar pq todo mundo pensará que vc e louca se fizer isso.
    Mas vc já é grandinha, já pode enfrentar seus pais e dizer que quer ser feliz. Se a grana pesar vc volta pra medicina.
    Mas tem que ver se o problema é a profissão mesmo, muitas vezes é problema pessoal que afeta toda a vida da pessoa.
    PQ vc não faz terapia.
    Qdo a gente tá feliz nada tira a nossa paz, muito menos uma profissão.

  • Eu não vivi o que você vive e nem sei de sua situação concretamente, mas não acha que está desperdiçando a sua vida por nada? O que o seus pais irão fazer se for fazer algo que você deseja? Talvez brigar, mas nada além disso. Eles ainda serão os seus pais. Se acha que ir para fora do país seja a solução, talvez seja, mas isso lhe privará de sua família e amigos. Mudar tudo longe de todos valerá mais a pena do que fazer isso com o apoio de amigos e familiares ou só será mais fácil?
    Você realmente tem que parar de fazer tudo o que faz e pensar na sua vida. Está a vivendo simplesmente por aparências.

    Uma dica: Vá atrás do que lhe interessa, sendo com cursos, palestras… Use o seu tempo livre para isso, é muito melhor do que continuar tomando medicamentos e buscando um relaxamento temporário.

    Achando o que quer faça-o sem medo.

  • você não devia ter entrado na faculdade de medicina se não tem vocação, você deve fazer o que te faz feliz, e não o que os seus pais querem, mas você ainda ta em tempo de mudar de profissão e ser muito feliz , com a que você escolher, abraços.

  • Concordo com a Maria Clara, diminua sua carga horária e invista em algo q lhe traga prazer.

  • Sua posição é mais comum do que imagina. Em grande parte, passo pelo mesmo que você: tenho uma grande vontade de recomeçar, de preferência bem longe. Ou, para falar o português bem claro, de largar tudo, dar um “foda-se”. Diversas vezes, me abrindo com outras pessoas “bem sucedidas”, elas me contam como estão na verdade insatisfeitas e querem mudar. Se você olhar o perfil delas no Facebook, todavia, parece que levam vidas perfeitas. Quer dizer, é algo que pouca gente admite, mas acontece muito.

    Sempre fui um garoto exemplar, considerado por todos muito inteligente, talentoso e esforçado. Muita expectativa foi colocada sobre meus ombros enquanto eu crescia, o que, sem que eu me desce conta plenamente, inflou meu ego e me tornou muito orgulhoso e ambicioso. Hoje passei dos trinta e vejo claramente como fui tomando decisões na vida para atender a expectativas irrealistas ou que simplesmente não correspondiam ao que eu realmente queria. Fui me frustrando profissionalmente e, por ser mimado, tive atitudes e tomei decisões imaturas que me levaram a perdas duras. Agora vejo como fui, no fundo, manipulado por uma imagem de mim mesmo que foi forjada para agradar aos outros e ao meu próprio ego, que se alimentava de elogios e incentivos superficiais.

    O pior é que me sinto velho. Sei que ainda tenho, em tese, muito tempo pela frente, que sou saudável, mas não tenho mais a energia de antigamente, a vontade, a capacidade de me empolgar, de sonhar. Eu me sinto perdido, como se tivesse 16, 17 anos e tivesse de fazer “a grande escolha”, agora mais maduro, mas não por isso menos confuso ou assustado, e sem a mesma disposição, sem até aquela inocência que torna tudo mais fácil.

    Se você ainda tem disposição, se ainda tem sonhos, se sabe o que quer, acho que deveria investir nisso. Sempre dá para fazer uma transição suave, arriscando menos, calculando cada passo do caminho. Procure por um terapeuta, um coach, um headhunter, um profissional de transição de carreira. Não aja por impulso. Sugiro que planeje uma mudança em vez de se jogar, ou ainda, jogar tudo pelo ar.

  • Amiga, nada lhe impede de dividir seu tempo entre a profissão que escolheu e um hobby voltado para aquilo que você gosta.
    .
    Se lançar de cabeça no vazio é muito arriscado e pode comprometer sua vida e até piorar.
    .
    Boa sorte.