A carência nos leva a “fazer merda”

Bem vamos começar por aqui, tenho 15 anos de idade sou Bissexual e infelizmente amo minha sobrinha que também tem a mesma idade, aos 13 anos quando eu e ela voltamos a conversar, ela tinha dúvidas sobre ela e sobre a sexualidade dela eu tentei ajudá-la, até que ela percebeu que era bissexual até ai tudo bem, e com o passar dos dias nossas conversas foram “esquentando” até tínhamos marcado um lugar para se encontrar, até que minha irmã leu as mensagens dela e veio falar com nós sobre esse assunto, então decidimos esquecer e ninguém nunca soube, um ano se passou e em agosto faltando 2 meses para eu fazer 15, eu voltei a ver ela, não via ela há 3 anos, só conversa online mesmo as vezes porque ainda era meio tenso e guardamos o nosso “amor” pra dentro da alma, até tentamos com outras pessoas porém quando voltamos a nos ver, começamos a conviver muito, nos víamos 3 vezes por semana e sempre era com abraços demorados e beijos fofos no rosto, mordidas, mesmo só sendo isso minha irmã ainda era desconfiada e perguntou pra ela sem eu saber se a gente tinha algo, ela respondeu que não, porque não tínhamos mesmo, minha mãe começou a viajar todos os finais de semana eu eu comecei a ter que ficar na casa dela e tinha que dormir junto com ela no mesmo quarto, mas antes de dormir, sempre até hoje, ficamos acordadas até umas 6hrs da manhã conversando, fazendo carinhos uma na outra, abraçadas, bem agarradinhas, mordendo, dando beijinhos, sem ir mais além que isso, nós conversamos até hoje sobre o nosso amor e sobre essa saudade, sobre esse amor que vai mais além do que eu imagino que deveria, sobre pensar nela antes de dormir e ela pensar em mim antes de dormir também, sobre ela ter vontade de me beijar e eu ter vontade de beija-la , mas só falamos de beijar quando escapa sem querer, não somos diretas em relação a beijar mas tudo bem, em outras conversas isso fica bem claro, nós tentamos nos controlar sempre para não passarmos dos limites, mas no fundo queremos muito a mesma coisa, então resolvemos ficar só na base dos carinhos e fazer outras coisas só com estranhos, outras pessoas, mas a cada dia que passa isso piora fica mais intenso, a vontade de ficarmos juntas, pra sempre, aumenta infelizmente … Tenho a certeza que isso vai passar dos limites porque ela sempre diz “você me tem como ninguém”, quando eu toco nela ela fica “excitada” isso é f*da , quando a gente falava sobre a namorada dela, sobre a relação delas entre quatro paredes, ela falava que preferia que fosse outra pessoa no lugar, um dia ela me disse “sabe se você não fosse minha tia, eu iria adorar passar a noite com você toda, você é muito :3 ” isso foi pra acabar comigo não sei se ficava feliz ou se ficava triste porque eu não devia fazer isso, pra finalizar essa confissão, ela terminou com a namorada dela e a cada dia que passa ela fica mais carente, e eu não quis ninguém desde meu ultimo relacionamento, que durou 4 meses, nem gostava do menino mas não quero ficar com mais ninguém só com ela, mas não falo isso diretamente pra ela pq né… mas continuando, creio que a carência vai nos levar a fazer merda, e infelizmente ela é a única que me desperta algo e vice versa!

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

2 Comentários

  • Existem 2 problemas sobre se relacionar com parentes d sangue: 1 é a resposta provavelmente negativa de outras pessoas, dentro e fora da familia, o outro é q se um casal que tem dna parecido tiver filhos eles seram mais sucetiveis a terem doenças geneticas incuraveis, o q no seu caso er quase impossivel vcs terem filhos biologicos.
    Eu ñ diria q er errado, pq vcs se gostam e querem fazer bem uma a outra, o problema msm é q muitas pessoas condenam isso, por causa de religião ou sei lah, mas se vcs quiserem msm ficar juntas, falar com a familia pode ajudar, pra ver o q eles pensam, fala com a sua irmã ve o q ela acha e se vcs puderem ficar juntas sem causar uma guerra na familia, se joga ué.
    Meus avós eram primos a familia deles pelo q eu sei ficou d boas, eles felizmente tiveram filhos saudaveis, sem anomalias ou doenças geneticas, viveram bem entre eles e a família.
    O importante msm é vcs estarem felizes.
    Boa sorte

  • Aleksandro Miritituba-Pará

    Fica com ela e vê no que dá. Com certeza ambas irão adorar. E se no final se sentir com a consciência pesada simplesmente peça desculpas, e ponto final.