Sinto ódio de tudo à minha volta

Desde jovem eu sou muito introvertido e reservado. Pensei que era só uma fase, “coisa de adolescente”. Nunca tive uma vida social ativa, amizades duradouras, ambiente familiar estável ou qualquer fonte de apoio nos meus empreendimentos.
Hoje, aos 38, tenho uma vida econômica estável. Consegui vencer o básico dessa vida imunda e não me preocupar com dinheiro.
Mas sinto a mesma raiva, o mesmo ódio, nojo e desprezo de tudo à minha volta. Na época de colégio, arrumava brigas com frequência, chegando a ser expulso após quase matar um colega de classe pelo motivo dele ter projetado uma sombra na página do livro que eu lia. A pressão da família também sempre me acometeu de forma exorbitante, e mesmo odiando toda aquela vala de fezes dentro da minha casa, fui obrigado a suportá-los por anos. Namorei algumas vezes, mas não suportei a relação, e poucos meses após o começo, agredia minhas companheiras ou criava um comportamento repugnante para afastá-las definitivamente. Tornei-me misógino e ao mesmo tempo cínico, chegando a cometer absurdos em público, como brigar por motivos sem nenhum significado, como, por exemplo, um esbarrão. Já fui um cara diferente, um jovem tranquilo e introspectivo, que gostava de ler e escrever ficção. Tudo isso está morto, definitivamente, em um poço de angústia dentro do qual eu me debato em busca de ar. Semana passada me envolvi numa briga de rua me madrugada, quando um cara me confundiu com um usuário de drogas que estava devendo. (Eu não bebo e nem faço uso de qualquer droga lícita ou ilícita). Sem pensar, puxei  a mão do bolso já com o soco inglês nos dedos (sempre ando com algum tipo de arma branca) e nocauteei o indivíduo ali mesmo. Não sei o que houve com ele, não esperei para saber. Simplesmente saí dali.
Hoje moro apenas com meu cachorro, talvez o único ser vivo nessa podridão por quem eu sinta algum tipo de afeto. Nos últimos meses tenho gastado muito dinheiro com facas, machados de jardinagem, facões, acessórios de caça e utilitários. Nessa busca por refúgio dessa sociedade putrefata, já cheguei a passar quatro meses acampado no mato, sem ver a cara de ser humano algum, pois quando saio de casa para trabalhar ou resolver um compromisso, só sinto ódio generalizado de rostos vazios e espíritos perdidos.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

6 Comentários

  • Nada vai mudar o ódio que você sente,não adianta ir em psicológo ou psiquiatria você vai ser sempre assim,só precisa aprender a conviver com essa escuridão não seja controlado pelo ódio controle ele torne-se amigo dele e o direcione pra onde você quiser com tranquilidade se você perder a calma e o controle vai sofrer consequencias uma hora ou outra.

  • Amigo, na boa, é melhor você procurar um psicólogo. Você não está no seu juízo perfeito, para pra pensar, pra que comprar machado, facão, faca? Já já, você vai fazer uma merda cara, aí, o que tá ruim vai piorar. Já pensou, se tu matar alguém quantos anos de cadeia tu vai puxar? Pense que em uma dessas confusões que tu arruma, alguém te mata, ou pior te dá um tiro e deixa paralítico. Concerteza tem muitas pessoas ruins nesse mundo, mas tem muita boas também! Não é normal uma pessoa sentir ódio, por quem nem conhece. Procure um psicólogo ou psiquiatra urgente amigo, antes que seja tarde. Ore muito à Deus, porque isso é coisa do capeta te perturbando. Que Jesus te ilumine!

  • Eu te entendo, fica na sua. Só toma cuidado para não fazer uma grande besteira.

  • Me sinto dessa mesmo forma, eu gosto de pouquíssimas pessoas, a maioria eu não vou com a cara e elas também não vão com a minha. É complicado, porque já quis ser uma pessoa boa, espiritualizada, mas esse mundo sempre me puxa para trás, se fico introvertida, sempre tem alguém para rir, humilhar e se desfazer. Aqui, nesta vida, eu sei que não terei paz, mas acredito em Deus, e sei que ao lado dela terei. O jeito é tentar abstrair e viver em um mundo só seu, mas claro que algumas poucas pessoas, nas quais você possa confiar.

  • Nossa ! Que relato…está na cara que vc é um sociopata !!! Vc deve ter sérios transtornos por algum tipo de trauma…antes que faça mal a vc e aos outros, pq não busca ajuda com um psicólogo ? Já pensou que com essa sua instabilidade emocional, poderá machucar ou até mesmo matar alguém e passar o resto dos seus dias numa cadeia ??? E então, lá vc verá que existem pessoas muito mais podres e imundas do que aqui fora…já pensou que vc pode ser inclusive, bipolar ???
    Vc ainda é novo e pode ser feliz…busque ajuda rapaz ! Não destrua a sua vida e nem a de quem está a sua volta !!!
    Independente de religião…já buscou a Deus ?? Pq não vai a igreja ? Ore…peça a Deus uma saída para sair dessa treva em que vive…esses, não são sentimentos de um ser humano normal.
    Pense nisso ! Boa sorte e melhoras.

  • Belo depoimento !
    .
    Amigo, infelizmente o mundo não é e nunca foi perfeito. Cada um de nós todos, incluindo você, não somos perfeitos. Não existe a perfeição no mundo, ao menos nessa dimensão em que vivemos não há……. Outras eu não sei se existem.
    .
    Então meu caro, quando você supervaloriza os defeitos da humanidade e sua como diz, podridão, não percebe que essa crítica despreza o valor que existe em viver a vida em harmonia, em paz.
    .
    Percebo que é uma pessoa inteligente. E sendo inteligente sabe que não há nada que te digam aqui que resolverá seu problema ou acabará com os males do mundo. Portanto amigo, procure ajuda profissional. Procure um psicólogo para te ajudar a encontrar uma saida para esse beco no qual voce se meteu.
    .
    O que está fazendo, seus pensamentos e atitudes, só aumentam a podridão que você tanto odeia. Talvez se respondesse ao mundo no sentido contrário, sendo solidário, ajudando os necessitados, quem sabe voce faça a diferença.
    .
    Beijos.