A minha história de amor

Esta é uma história real, quem conseguir ler até o fim deixe seu comentário, mesmo acreditando que a grande maioria não aprovará o que eu fiz. Sou homem, a história aconteceu há muito tempo, muitos de vocês que agora leem sequer eram nascidos. Eu estava no último ano do Ensino Médio, logo no primeiro dia de aula ainda na empolgação de rever os colegas, vi que na lista de chamada dos professores havia um nome diferente, uma garota que chamarei de Margaret**. Ela não estava presente e todos professores comentaram: “Nossa, agora a Margaret está estudando a noite” ou “Ué, por que será que a Margaret não veio ?”. Logo percebi que era uma garota especial e tive muita curiosidade até o próximo dia chegar. No segundo dia de aula, cheguei cedo e fiquei parado na porta esperando para matar aquela estranha vontade de ver uma pessoa que nem conhecia. Eis que surge uma jovem linda, pele branquinha, olhos apertadinhos, cabelos castanhos claros e encaracolados que veio na minha direção e perguntou: “Esta sala é da turma XXX ?”. Com um sorriso, respondi: “É sim, você deve ser a Margaret”. Me apresentei, começamos a conversar e a direcionei para a carteira à minha frente porque queria que ela ficasse próxima a mim. Como ela não conhecia a maioria dos outros alunos, tratei logo de ajudá-la a se enturmar e em muito pouco tempo os meus amigos também já eram amigos dela. Não sei qual foi a primeira impressão dela sobre mim, mas a minha sobre ela foi a melhor possível. Meu coração batia mais forte toda vez que ela se virava para trás para conversar comigo. Mas tinha um problema: eu já tinha outra pessoa. Esta pessoa ainda não era minha namorada oficial, mas já tínhamos ficado várias vezes e estava caminhando para se tornar mais sério. Eu era meio travado com esse negócio de relacionamento, já tinha namorado antes, mas estava há vários meses sem ninguém e eis que surge duas pessoas praticamente ao mesmo tempo, por isso digo que “a vida é uma caixinha de surpresas”…..kkkk. O tempo foi passando, oficializei o namoro mas não deixava de pensar na Margaret. E Margaret também foi ficando cada vez mais próxima, éramos parecidos, nos dávamos super bem, mas éramos só amigos. Algum tempo depois, ao me despedir, dei um selinho no cantinho da boca de Margaret, assim de surpresa e saí depressa com medo de uma reação negativa. No dia seguinte ela estava super animada comigo, percebi que ela havia gostado e a chamei para conversar. Eu disse que gostava muito dela, era um sentimento maior que amizade, mas que eu tinha namorada mas que a situação se resolveria em breve. Aí sim, nos beijamos muito. Mas eu fui continuando com minha namorada. Se alguém tem alguma dúvida se é possível gostar de duas pessoas ao mesmo tempo, É POSSÍVEL SIM ! Não tive coragem de encerrar o meu relacionamento, mas Margaret nunca me cobrou nada. Sofri muito com esta situação, mas era eu mesmo que a tinha criado. Continuamos nos encontrando e cada vez eu gostava mais dela. Depois de mais alguns meses (sim, meses!), Margaret me entregou uma carta, vi que ela sofria. Na carta dizia que eu precisava escolher com quem queria ficar, ela havia preferido escrever pois não tinha coragem de dizer. Após isso ficamos mais uma vez (ou duas, ou três) e eu nunca dei a ela uma resposta oficial. O ano já havia acabado, fui trabalhar em outra cidade e ela passou no vestibular de uma universidade, muito, muito longe. Ainda chegamos a trocar alguns emails até que um momento ela parou de me responder, bem ao estilo “Emily is away”. É isso, cada um seguiu sua vida e nunca mais nos encontramos desde então.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

6 Comentários

  • Olá,

    Não existe essa de amar duas pessoas ao mesmo tempo, quando se diz-senti assim é porque ama uma delas e tem um carinho-respeito pela a outra. Ou no pior dos casos não gosta de nenhuma das duas verdadeiramente, é apenas carência, medo de ficar sozinho ou fez um nó com as relações e ficou perdido; talvez sem querer ou talvez por querer.

    O fato de você esta escrevendo sobre a Margaret, assim digamos ‘do nada’ e você manter ela ainda em seus pensamentos; talvez seja a sua resposta para qual pessoa você amava de verdade na época. E novamente tem o outro lado da moeda: pode ser apenas curiosidade para saber como teria sido a relação se tivesse escolhido ela, o famoso “E Se…”

    Cada escolha uma renuncia. Algumas coisas ‘voltam’; já outras nunca saberemos.

    Boa sorte.

    • Obrigado por seu comentário e sensibilidade. Eu era muito jovem, posso ter confundido as coisas sim. Mas não me arrependo das decisões, provavelmente se eu tivesse ficado com Margaret nosso namoro terminaria muito em breve quando ela foi fazer faculdade fora.

  • Meu amigo, uma bela história de desencontro.
    .
    Para toda escolha há uma perda e muitas vezes uma frustração. Resta saber se a alegria de estar com sua namorada foi maior do que a tristeza de ter perdido a outra.
    .
    Você não disse o que sente agora, provavelmente a Margaret ja viveu grandes amores e nem se lembra de voce. Ou não ! Quem sabe ?
    .
    Vá atras dela ! Nem que seja para desfazer essa idealização que mantem na sua lembrança.

  • Aleksandro Miritituba-Pará

    Bem feito!!! ISSO É PRA VOCÊ APRENDER, QUE QUANDO TEMOS NAMORADA(O) TEMOS QUE SABER RESPEITA-LA(O), E NÃO METER CHIFRE COM A PRIMEIRA PESSOA QUE APARECER.
    Eu ODEIO quando um homem trai a mulher, e vice-versa. Caso houver traição, aí sim sou a FAVOR da pessoa traída dar o troco, pra provar o quanto uma traição machuca, nada mais justo!!! Se optar em ficar com mais de um (a) que não assumam compromisso sério, e sim, vivam vida de solteiro.