Minha vida é ruim, pra não dizer outra coisa

Meu pai morreu 14 dias antes de eu nascer, e isso sempre prejudicou muito a minha infância, era ruim ver que as outras crianças tinham pai mas eu não. Quando eu tinha 4 anos de idade minha mãe me abandonou e foi embora com um homem para outro Estado, então eu fiquei na casa de minha tia que era muito boa pra mim, me comprava todo tipo de brinquedo, roupa e me dava carinho, então eu era muito feliz na casa dela, eu gostava tanto dela que não me permitia fazer alguma coisa errada para decepciona-la, me lembro que um dia eu cheguei atrasada na escola por preguiça, ela não ficou brava nem brigou comigo, mas eu fiquei tão envergonhada que fugi para a casa de minha avó, minha avó é uma pessoa muito esquentada e da personalidade difícil, ela cuidava de mim mas me batia quase todos os dias, na casa de minha avó morava também o meu “tio” que era alcoólatra e me odiava, todos os dias ele me espancava, cuspia em mim, me dava socos, me trancava por horas no banheiro sozinha..
Na escola eu tinha medo das professoras e dos alunos e se alguém tentasse falar comigo eu era agressiva.

Quando eu tinha 8 anos minha mãe voltou, eu fiquei muito feliz achei que eu iria receber carinho ao invés de tapas, mas não, além de tapas também ouvia palavrões, desdenho e humilhações diversas… E pior, eu tinha apenas 8 anos e tinha que limpar a casa inteira da minha mãe e ainda cuidar das duas filhas dela, bebês (uma de 1 ano e outra de 2 anos), enquanto minha mãe trabalhava, quando ela chegava eu apanhava e nem sabia porquê!

Bem agora tenho 16 anos e vivo isso até hoje, minhas amigas tem roupas e eu não, ela não compra roupas pra mim, tenho apenas 5 peças de roupas que ganhei de uma doação e elas estão apertadas e rasgadas, pois isso já faz três anos.

E a minha vida é assim, eu vou pra escola e na hora que chego limpo toda a casa e mais tarde, limpo de novo. Nem comida minha mãe me dá, ela compra as coisas e come com minhas irmãs, eu só tenho direito de comer uma vez ao dia (arroz e feijão) e antes ela não me dava comida nenhuma então eu comecei desmaiar na escola, por isso agora ela me dá comida.

Enquanto nem comida eu tenho minhas irmãs e meu padrasto tem tudo do bom e do melhor que ela mesmas paga!

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

7 Comentários

  • Ei, querida, isso é MUITO SÉRIO. Tanto tempo sofrendo calada, e não tomou nenhuma providência.
    Caramba meu, eu fiquei revoltado com essa história e também com ”ESSE TIPO DE MULHER”, além de não se prevenirem, ainda saem colocando filhos no mundo só PRA SOFRER, E FAZER DELES UM ESCRAVO HUMANO! USEM CAMISINHA. Ou vocês vão dizer que NÃO SABEM COMO USÁ-LAS?
    EU SOU TOTALMENTE CONTRA TRABALHO E EXPLORAÇÃO SEXUAL INFANTIL. –

    • Ajudei em casa minha adolescência inteira, não só limpava a casa semanalmente como fazia almoço, e até isso agora virou exploração? A paputaquepario, e olha que sou homem, amo minha mãe e a ajudarei até o momento em que Deus a leve.

  • Amiga, que situação complicada.
    .
    Ao menos voce tem acesso a internet, já é alguma coisa.
    .
    Alguem deveria ter te encaminhado ao conselho tutelar da sua cidade. Voce já tem 16 anos, acho que poderia ir e conversar com a assistente social, explicar a sua situacao para que ela convoque seus pais para uma conversa.
    .
    Acho estranho que sua tia não tenha te ajudado mais.
    .
    Enfim, o melhor é se preparar para deixar essa família assim que puder.
    .
    Bjs.

  • Sua situação é bem grave. Grave mesmo. Você já pensou em procurar ajuda? Em relatar para alguém em quem você confia, um professor por exemplo? Como você é menor de idade seria bacana você se abrir com algum adulto para ele lhe orientar, porque pelo o que você conta a sua situação exige muita atenção. Uma mãe que deixa a filha sem praticamente se alimentar merece ser punida, sem contar as outras situações que você vivencia. O dever de sua mãe é cuidar de você, te amparar e não te maltratar. Sendo você uma adolescente saiba que o Conselho Tutelar de sua cidade pode intervir, se alguém puder te encaminhar para lá não exite em pedir ajuda.

    • Só uma correção: A última frase é “Não hesite em pedir ajuda”.
      Acabei cometendo um erro de grafia.
      Ah, cuidado com alguns comentários. Há pessoas que vêm aqui apenas para tumultuar e te deixar mais pra baixo ainda. Você precisa saber filtrar. Ok?

  • Desculpe pela palavra, sua mãe não presta, a se eu tivesse o poder de conseguir cuidar de você