Me arrependi de passar dos limites de intimidade com minha mãe

Bom, não tão recentemente postei um texto onde confessava que tinha uma obsessão em me exibir nu (Obcecado em me exibir nu a minha mãe…) onde eu explicava um problema que tenho, onde meu prazer é esse mesmo, o exibicionismo, e para tal me utilizava o que tinha ao alcance mesmo, como depiladoras, massagistas e inclusive minha mãe. Sim, minha mãe…
Lá (na outra confissão), expliquei que eu assim como todos exibicionistas eu acho, criava situações para que fosse visto pelado, mas como se fosse algo por acaso, onde na minha mente geraria a surpresa ou talvez a curiosidade de quem me visse naquele estado.

Bem, eu disse isso tudo usando o tempo passado, pois depois da confissão que fiz, recebi várias críticas e fui até chamado de doente e realmente pensei bem e parei de fazer isso, nunca havia encostado um dedo e minha mãe nem ninguém, e muito menos intenção de nada sexual além da observação e imaginação. Tenho uma namorada linda, vida normal, sexual profissional, etc… Então, parei de vez, mas não é a toa que estou aqui outra vez desabafando, pois acho que esse “tesão” deva ser comparado igual a drogas tóxicas, difíceis de se livrar (se é que seja possível) e você pode sempre ter uma recaída. Quando eu ainda tinha o hábito de me exibir, me aproveitava de uns “defeitos de fábrica” que tenho na ejaculação e no órgão genital, assim os usava como motivo das exibições ocasionais. Então, tive a má ideia de fazer um creme caseiro imitando sêmen para espalhar em minha barriga para dar de cara com minha mãe no corredor usando a desculpa de que havia saído dormindo, etc, que estava indo me limpar, blablablá, e então tinha um pequeno pote com esse creme que é uma mistura de óleo, lubrificante e uns cremes brancos escondidos em uma gaveta no meu quarto, mas já parei com isso fazia quase 6 meses! Então, faz três dias que eu fui me depilar normalmente sem outros motivos, e na volta ainda estava sozinho em casa e resolvi dar uma relaxada no sofá (peladão), até que bateu aquela maldita vontade e recaída de fazer mais uma exibição e peguei o tal pote na gaveta pra fingir ter ejaculado enquanto dormia. Agora, fingir por quê? É incrível como me controla isso na hora. Só uma cabeça imbecil igual a minha pra fingir alguma coisa assim, penso eu… Ok. Fiquei lá deitado de barriga pra cima com o tal creme na barriga esperando minha mãe chegar e “Ops, desculpe, esqueci que vc estava em casa…”, mas não foi bem assim. Eu realmente peguei no sono, pois estava cansado do trabalho e nem percebi quando ela chegou, sei que abri os olhos de canto e a vi andando pela sala normalmente como se eu não estivesse ali, fiquei surpreso, mas me deu aquela excitação de sempre como se eu estivesse à vontade mostrando minha sexualidade e fingi ainda dormir, até que a história mudou. Eu estava com 1% do canto do olho aberto pra tentar ver o que se passava, vi minha mãe que parou ao meu lado e deu uma olhada mais de perto pra minha barriga e saiu da sala. Pensei, ué, o que será que ela estava olhando? Até que ela volta com um rolo de papel higiênico e começa me limpar meio que de supetão, brava, e eu obviamente tive que “acordar” e fingindo estar grogue de sono falei pra ela parar com isso, que eu me limpava, pra tirar a mão, mas ela mais brava ainda, retrucou:

– A fica quieto, vai! Você fica ai pela casa com esse negócio de fora toda hora e ainda vai querer sujar meu sofá? Vai ao banheiro, no quarto, sei lá, mas não no sofá!

Eu pedi desculpas, disse que não foi a intenção, que não era culpa minha, que saiu sozinho e toooda aquela ladainha de sempre pra dizer que ejaculo dormindo e tal, e ela por sua vez retrucando pra eu ir ao médico de novo ver isso, que não pode ser normal, etc, mas estava mais calma, até que a parte ruim que foi a fonte de todo meu arrependimento começou. Ela falando e me limpando com certa brutalidade (tudo isso em questão de 2 minutos no máximo, nem isso) eu estava com o nível de ansiedade a milhão de sentir o coração bater, até que ela começou:

– E aquele monte de problema que você ficava reclamando? Parou de encher o saco da sua namorada que quer fazer cirurgia pra desentortar; pra tirar a cicatriz que ficou do freio; ta tudo bem ou você já encanou com mais alguma coisa?

Se fosse só a pergunta, eu responderia com algo que prolongasse a conversa pra eu ficar mais tempo ali, pelado, na frente dela e com atenção, mas assim que ela perguntou da cicatriz do freio, mãe é mãe e realmente tem liberdade para tal, não pegou nele, mas com a lateral da mão que segurava o papel, ela meio que puxou a pele do meu pênis para trás para expor a tal cicatriz, mas soltou logo, foi meio que espontâneo, muito rápido, mas isso foi o suficiente pra começar, não uma ereção, mas sim o ponto de quase não retorno de ejacular mesmo, eu aflito que ela não parava de falar e eu tentando me distrair falando outra coisa, e ela com aquela porcaria de papel áspero esfregando tudo até que e então, com o júnior flácido mesmo (sim, flácido), acabei por ansiedade pura ejaculando, ali mesmo, na minha barriga em frente a minha mãe, ao vivo e a cores. Tentei me esquivar, por a mão, algo assim, mas ela quando percebeu que estava saindo colocou os papéis já sujos de creme em cima pra tentar conter. Eu não sabia o que fazer, só coloquei a mão na cara e esperei parar e começar ouvir o maior sermão da minha vida, roxo de vergonha e medo.
Mas não, antes fosse isso, minha mãe pegou mais papel, tentou limpar tudo novamente onde escorreu e meio com cara de espanto e rindo, perguntou se doía alguma coisa.
Respondi que não, por que doeria? Ai ela respondeu meio com deboche e rindo que eu havia acabado de ejacular pela 2ª vez e o normal seria que não tivesse saído quase nada.
Eu fiquei meio sem palavras e só disse: “- É, ta aí o problema, por isso acontece dormindo… Sai sozinho”…
Eu deveria ter falado a verdade, mas fiquei com medo. Ai ela riu e disse que tudo bem, que pelo menos eu não teria problema em ter filhos, gargalhou e falou pra eu ir tomar banho que o papel colou em tudo que encostou.
Eu levantei, subi as escadas todo melecado e fui tomar um banho com um peso enorme na consciência pelo o que tinha acontecido, e até agora estou meio assim de topar com minha mãe. Estou com medo de sei lá, escutar alguma insinuação, algo assim. Não mudei de comportamento pra ela não perceber nada, mas confesso que na hora fui tomado pelo tesão/calor do momento mas depois que passa tudo você começa a refletir o que fez. Agora não sei o que fazer, se deixo a poeira baixar, sei lá, estou com medo de qualquer hora cair numa “tentação” dessas novamente e não sei onde pedir ajuda.

 

Reportar Sexo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

11 Comentários

  • História curiosa. Eu também sou exibicionista. Faço tratamento psicológico e psiquiátrico, mas ainda não abandonei 100% a prática. Não se preocupe tanto com isso. É doentio, de certa forma, afinal é uma parafilia (perversão sexual), mas cropofilia, necrofilia e zoofilia são muito piores. O caso com a sua mãe é complicado, mas isso é entre você e ela. Eu só te aconselharia a cuidar disso. Procurar um meio ou um lugar onde dê pra você praticar de boa. Conhece o 4 Cam? Faça uma conta lá e se exiba para meninas curiosas. O meu caso é mais complicado, já que meu fetiche é exibicionismo público, na rua ou em ônibus. Qualquer dia posto um texto a respeito. É bom poder desabafar com vocês.

    • Pois é! Na verdade meu medo era que por algum motivo isso virasse uma obsessão sem controle, mas consigo me aliviar em lugares que isso é “permitido” , como depiladora, massagem, que posso ficar lá peladão mostrando tudo, e etc. Essa de ficar na rua e tal, não faz meu tipo, no máximo deixei aparecendo a potna do p*nis flácido mesmo (pra parecer que foi sem querer, óbvio) pela bermuda quando passei em pedágio e a cobradora vendo de cima, claro, deve ter imaginado que eu era um motorista relaxado com roupas de ficar em casa e não usa cueca rs. Fora isso, nada mais em público, só minha janela, etc. Mas o cam4 eu não conhecia, obrigado pela dica!

  • sinto a maior vontade de te conhecer ..

  • Sua mãe parece bem legal. E esperta.

  • Sua mãe é safadinha e sigilosa. Aproveita isso e volte a dormir nu para ela te ver e deixe ela perceber que vc se excita com ela. Se tem consentimento dos dois não é errado. Se ela te masturbar ou fazer oral normal, mas nada de penetraçao sem camisinha

  • Cara, tenho vontade de fazer a mesma coisa, mas infelizmente moro com meu irmão e meu pai.
    Acho que minha mãe, de vez em quando, dá uns moles assim, meio que se insinuando pra mim sabe?
    Pode parecer doentio, mas quando estou sozinho isso me incomoda bastante.
    Na hora eu ignoro, trato com rispidez, mas no fundo, gostaria de ter uma oportunidade dessas como você teve, e manter isso em segredo.

  • Ivo, sabe lendo seu texto agora, me dei conta que sofro de ‘exibicionismo? . Nunca havia me dado conta disso. Desde a adolescência que gosto de mostrar o bico do meu seio no ônibus, sempre o deixava descoberto de forma que quem estivesse ao meu lado, olhasse e visse. Também amava tirar a roupa na janela quando percebia alguém (homem) na direção. E numa determinada fase da adolescência, me masturbava sempre que meu vizinho aparecia na direção da janela. Também corria para tirar a calcinha, mesmo de short, quando algum vizinho chamava na porta, fazia questão que percebesse, botava um sorteio que desenhasse e saía para atender. Essa semana saí na frente de casa de vestido de botão e sem calcinha para atender um pedreiro que fez serviços em minha casa e percebi que ele viu me vagina numa abertura entre um botão e outro e fiquei sem graça e excitada ao mesmo tempo.

    Agora me dei conta o quanto gostava de me exibir.

    • Então, é uma coisa meio incontrolável, né? Você não tem vontade “explicita” de se mostrar, como de repente sair pelada na rua, ou coisa do tipo, e sim em situações que “sem querer” aconteceram. Eu já fiz muitas e muitas coisas pra esse vício, essa de ficar na frente da janela é a melhor maneira de ser desejado por alguma desconhecida na rua. Me masturbei algumas vezes “sem perceber” que uma vizinha de um prédio logo a diante da minha casa me observava enquanto limpava a janela/quarto… Duro que fiquei espantado com essa depois da minha mãe mas esse tesão não passa!

    • Olá Daniela, muito interessante seu relato. Eu sou como você, só que homem. Infelizmente nunca topei com uma exibicionista na vida real. Mas já topei, durante o ato exibitório, com várias mulheres que demonstraram interesse visual pelo meu pênis. Parabéns por ter coragem de postar seu texto aqui. Mesmo sendo um ambiente de anonimato, penso que poucas mulheres teriam essa coragem.