Sou Misantropo extremamente antissocial

Oi , meu nome é ******* mas pode me chamar de neves

Eu não considero minha vida nem minha infância normais . fui sozinho a desde pequeno e ficava no computador o dia inteiro, eu era muito viciado em pc, ficava horas sem sair de casa, não falava com ninguém (o que não era muito comum em 2005, 2006)

Por causa da falta de interações sociais e vida eu me tornei uma criança ridiculamente lerda e burra, alienada . eu sofria bullying na escol , as pessoas tinham raiva de mim, eu não conseguia andar na rua de tanta vergonha.

Já tenho 15 anos, não sou mais assim, mas o meu passado teve um peso absurdo pra toda a minha pessoa..

Sou extremamente antissocial, me sinto desconfortável com pessoas ao meu redor inclusive minha família, voce também pode chamar isso de misantropia (aversão ao ser humano e a sociedade de maneira generalizada) . eu não acredito mais nas pessoas, elas não tem opinião, não prezam a si mesmas, não pensam, só ficam fazendo coisas inúteis como assistir ao jogo ou postar fotos no face . durante toda minha vida já me decepcionei muito com os poucos amigos que tinha, no que me tornou extremamente desconfiado de todos a minha volta, cada decepção me faz desgostar mais ainda de todos . nunca vou poder desabafar sobre as pessoas com meus amigos pois eles ficariam invejados pela minha inteligência, os que tem mais inveja sempre caçoam de mim após meus comentários e criticas.

não me preocupo mais em ter relações amorosas, quer dizer, que tipo de mulher ficaria com um cara que critica tudo e é mais inteligente que ela ? as pessoas nunca querem algo a cima delas, e mais, sou terrível pra falar com pessoas , imagine com mulheres. no mínimo prostitutas , elas fazem por dinheiro mesmo né . muitas pessoas veem esse ponto de vista como algo monstruoso , me desculpe mulheres, não estou menosprezando voces, estou menosprezando a sociedade em si independente do gênero. peço desculpas

falando sobre o prejuízo mental . eu tenho sintomas de estresse pós traumático, sofro de despersonalização (sentir se irreal ou sonhando) quase o tempo todo por demasiada introspecção e outros agravantes como rotina monotonia, transtorno bipolar (oscilações de humor) que atrapalham a produtividade do meu trabalho e escola . minha memória não funciona direito, não me lembro de com quem estudei dentre outras coisas de 4 ou mais anos atrás, talvez por que eu  havia começado a mudar com 12 anos, e por ultimo já tive inúmeras crises de insânia..

ao decorrer de tudo abandonei inúmeros familiares que “me amavam” ou só sentiam pena pq me achavam retardado, não me arrependo de não falar mais com eles e pretendo continuar assim, não preciso deles pra ficarem me tratando como um incapacitado..

conselho, não deixe seus filhos viciados em computador, pelo contrario. vigiem se eles tem relações sociais normais e se não sofrem bullying ou algo do tipo, e se virem algo de anormal nele, busque ajuda com um profissional ao invés, dos putos dos meus pais que acham que meu problema é coisa da minha cabeça!

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

12 Comentários

  • Você é narcisista e antissocial. No mais, é um idiota mesmo, sinto muito te informar. Também não te achei extremamente inteligente, mas de uma arrogância abissal.

  • Olá, primeiramente gostaria de falar que te entendo perfeitamente. Quando eu tinha 15 anos eu me sentia dessa mesma forma, só que um pouco pior, eu por consequência dessa antissociabilidade toda larguei a escola, eu ficava trancada o dia todo em casa pois odiava tudo e todo mundo, ( mas em compensação sempre lia muitos livros e adorava resolver equações) mas é engraçado como nunca sofri de crises de baixa autoestima, eu costumava me achar fora dos padrões quando tinha uns 12 anos, porém isso logo foi substituído por uma autoestima digamos que um pouco acima do normal… Me sentia melhor que todo mundo, tanto intelectualmente quanto fisicamente, não conseguia e as vezes (nem tentava) fazer amigos por achar todos muito burros. O problema é que desde os meus 11 anos eu tive depressão, eu me mutilava, raramente dormia mais de três horas por noite, enfim… Minha família nunca deu importância pra isso pois sempre acharam que era coisa da idade, mas veja quantas coisas eu perdi, eu comecei a fumar também aos 15 anos, eu tinha muitas crises de ansiedade então usava o dinheiro que ganhava do meu pai para comprar maços de cigarro, todos os dias eu comprava um maço de malrboro e fumava ele todo no mesmo dia, e isso até os meus 17anos , 20 cigarros todos os dias, minha família via e não fazia absolutamente nada. Hoje eu tenho 19 anos, muitas coisas mudaram, porém algumas coisas ainda estão aqui. Só consegui descobrir que tinha depressão e que precisava fazer tratamentos com medicações psicotropicas à uns poucos meses atras, comecei o tratamento com psicologo e psiquiatra, mas veja bem, minha família não teve parte nisso, eu corri atras e decidi ACEITAR que ninguém além de mim poderá me ajudar, eu sinto muita mágoa dos meus familiares por me verem naquela situação deplorável e não me ajudarem pensando ser somente uma fase, o que eles pensavam afinal? Não consigo entender, hoje sinto muita empatia por esses adolescentes que passam pelo mesmo que eu passei, e não vou dizer que tens que se mexer, ou tomar alguma atitude, eu sei que esses conselhos não adiantam muito, pra pelo menos não funcionava, só piorava pois eu não conseguia fazer nada, e me sentia uma retardada, mas era só a depressão, e ela é tratável. Boa sorte na sua vida, curta esse momento de introspecção, não se acomode achando que é a idade porque pode não ser, não vamos dar atenção a essas pessoas que generalizam tudo… cada caso é um caso.

    Beijos, Ana.

  • Tb, né ! Amigo de traíra ninguém merece.
    Procura amizades verdadeiras e não meia colher de pedreiro.
    Diante de Deus até o Einstein é burro. Qdo começa assim é hora de trocar de tudo.

  • O seu mal chama-se: Aborrecência. Faz parte da sua idade. Logo passa. Primeiro você disse que é burro e depois inteligente. A maioria dos adolescentes sofrem com preconceitos de outros adolescentes.

  • Querido acho q vc tem q procurar ajuda, primeiramente, depois se aproxime das pessoas q te amam,seus familiares, ninguém vive no mundo sozinho. Der uma segunda chance para vc, não deixe q a vida te faça de vítima, .
    Comece com coisas pequenas, conversando com alguém na rua, alguém q vc não conhece, para tirar a sua timidez isso ajuda muito.
    Qual mulher não gostaria de namorar um homem inteligente! Mas é preciso ter confiança em vc msm, procure ajuda e deixe q te ajudem.
    Tenho certeza q Deus preparou uma futura promissor para vc, cheios de bênçãos e felicidades. Mas lembre -se só depende de vc, deixa Deus te transformar, clame a ele e vc verá a transformação em vc.
    Sinta tédio da tristeza, e de todos sentimentos ruins não dá vida. Der uma segunda chance para as pessoas

  • Nossa! Fiquei abismada agora. Eu sou exatamente igual, sofro com tudo o que você citou. Acho tudo chato, fútil, nada mais tem graça. As pessoas e os meus supostos “amigos” só me decepcionam, matam as minhas esperanças, eu mato também. Me afastei dos parentes, todos interesseiros, acho que sentiam pena de mim, como você disse. Sofro de transtorno bipolar e insônia, infelizmente. Possuo alguns traumas com a escola e não consigo conversar muito bem com ninguém. Minha vida não anda muito legal por isso. A minha mãe era ausente na maior parte do temo, quando eu a via não me deixava sair de casa e era super rígida comigo, fui crescendo sendo uma pessoa reclusa e isso me afetou bastante. Penso que quando tiver um filho não quero que ele ou ela passe pelas mesmas coisas que passei, não vou cometer os erros e vou estar lá para ele, sendo uma mãe compreensiva e carinhosa. Ninguém merece passar por isso…

    • foi muito dificil no começo pra mim , aos poucos vc vai se adaptar , se tonar menos dependente de estar com os outros

      sinto que reconheço esse vazio de m*rda que vc esta falando , pegue uma folha e papel e começe a pintar , extravasar todos os sentimentos ruins

      não conte sobre suas ideias e pesperctivas aos amigos , e ao mesmo tempo não guarde tudo pra si , fale sobre tudo que pensa em um diario , faça videos pro youtuber , um blog , mas não conte para pessoas que não sejam dignas de ouvir-la

  • Brother, eu te entendo perfeitamente. Quando eu tinha uns 15 anos eu era exatamente assim como você é agora. Algumas coisas que você falou sobre as pessoas e sociedade em geral são para mim verdades inquestionáveis, no entanto acho que é necessário ser tolerante e aceitar algumas pessoas como elas são.
    Hoje não sou mais tão antissocial, tenho duas amigas, aceito as pessoas e não me sinto mais incomodado em conversar e interagir com elas. Isso se deveu a várias coisas… Acho que principalmente ao fato de eu aos 12 anos ter me apaixonado por uma menina que, apesar de não ter correspondido exatamente como eu esperava (nunca namoramos), me aceitou mesmo quando era/me tachavam de introvertido, antissocial, nerd, para quase todos – boçal, pedante, bipolar, explosivo, etc. e isso me fez me sentir amado de verdade pela primeira vez. Ela é minha melhor amiga até hoje. O processo pra conseguir lidar com as pessoas foi lento, durou uns 4 anos e tal, mas hoje eu consigo e você também pode conseguir. Não perca as esperanças.
    Eu só devo alertá-lo pra tomar cuidado com isso de se achar mais inteligente que todo mundo. Você não é. Você é inteligente sim, eu sei que o jeito com que as coisas se deram na sua formação fizeram você se acostumar a refletir muito sobre as coisas, você adquiriu conhecimento, o estruturou e desenvolveu um pensamento crítico. Eu acreditava também ser capaz de me tornar mais inteligente que qualquer um, mas inteligências existem várias, e várias formas delas se manifestarem. Me decepcionei muito quando no final dos meus dezesseis anos, ao entrar na faculdade, me deparar com pessoas mais preparadas e com o raciocínio muito mais rápido que o meu, algumas delas – segundo outras pessoas – tão inteligentes quanto eu ou mais. Existem pessoas inteligentes como você, você vai gostar da faculdade. Lá existem pessoas que tem muito bom senso, pensamento crítico, e que não vão te julgar por sua introspecção. Você poderá encontrar lá uma forma de amenizar a sua solidão intelectual.
    Tolere seus pais, mano. Querendo ou não, eles estão próximos de você cuidando de você em alguns aspectos e negligenciando outros, mas isso é normal. Seus pais não são perfeitos, assim como você não vai ser perfeito em tudo o que você fizer, mesmo que seus erros sejam ínfimos no que você faz e fez até agora.
    Não ache que você é anormal e que tem algo de errado como uma doença em você. Você só é singular, um pouco diferente, excêntrico e isso é bom, daqui a um tempo você poderá tirar proveito disso, porque as pessoas nunca vão valorizar o que é ordinário.
    Não sou profissional da psicologia, sou só um estudante das ciências exatas, então não aceite como verdade tudo o que eu disse acima, reflita naquilo lá em cima e veja que há pelo menos a possibilidade de que as coisas conspirem ao seu favor e que você crie o seu círculo bem íntimo e exclusivo de pessoas, sua “família” que você vai construir.
    Espero que as coisas dêem certo pra você. Boa sorte na vida.

    P.S.: Com isso de “agir de forma pedante” eu quase afastei a minha melhor amiga da minha vida. Na verdade não era pedantismo, mas do ponto de vista dela podia parecer isso. Eu demorei pra entender o ponto de vista dela mesmo conseguindo ser empático com ela em outras situações, mas sei agora que é importante se colocar no lugar de quem é importante pra você e “reprimir” algumas das suas formas de se expressar, só pra garantir a boa comunicação.