A vida é feita de escolhas e eu errei em três

Tenho 46 anos, bem perto de ter 47 e tenho alguns pequenos arrependimentos pela vida, mas 3 deles são grandes e um em cada área diferente da minha vida. Por ordem cronológica, o primeiro data do final dos anos 80, quando movida por imaturidade errei a escolha da profissão. Que tal seria ter pesquisado um pouco mais, esperado um pouco mais? Fazer uma faculdade de comunicação não me levou pra lado nenhum, exceto para o caminho que me parece, hoje, ser só um beco vazio.  Meu segundo arrependimento foi achar, movida por paixão e solidão, que é verdade que os opostos se atraem. Mentira. Descobri, grávida no final dos anos 90 que os opostos não se atraem. Diferenças culturais cavam abismos com o passar do tempo e em mim causaram um sentimento de frustração. O terceiro arrependimento, da área familiar, veio por causa do medo. Hoje eu me pergunto, mas de quê eu tinha medo? Eu tinha um filho com 3 anos, já tinha 31 anos, trabalhava  e minha família resolveu, como na letra da música da Rita Lee, que eu era a “ovelha negra da família” e deveria seguir meu caminho. Recuei, me justifiquei, fiquei na casa dos meus pais e hoje tenho mãe pra criar. Gostaria de saber que rumo minha vida teria tomado se pelo menos um de meus arrependimentos não existissem porque fiz uma escolha diferente, talvez tivesse sido a escolha certa ou, quem sabe, a escolha ainda mais errada, mas não dá mais pra saber. Só lamentar.

 

Reportar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anti-Spam *

3 Comentários

  • Moça, se te serve de consolo não estás sozinha, a maioria das pessoas no mundo vive vidas frustradas ou vive se embriagando de prazeres da vida para esquecer a frustração em que vivem, tentando se convencerem de que são felizes, então considere-se uma vencedora pois ao contrário de ti, tentei ir atrás de consertar as frustrações e recomeçar. Sinceramente, não dá. Recomeçar não nos dá a chance de nascer de novo, recomeçar a partir de uma certa idade é complicado, ficamos cansados, não é como se reerguer de um namorico do segundo grau ou da faculdade. Infelizmente, cest la vie, desejo que apareça algo especial na tua vida, mas fique onde está e como está. Sei que deveria dizer que devemos confiar no Senhor e bola pra frente mas serei realista: confie na sua segurança. Caso minha vida um dia dê uma boa guinada com os recomeços que decidi fazer, volto aqui para retirar o que disse e contar como está a história.

  • Seria ótimo se tivéssemos uma bola de cristal. Quem não se estrepa nesta vida com escolhas que no momento pareciam e eram certas, mas que posteriormente demonstraram estar erradas. O mercado de trabalho hoje é muito dinâmico e num estalar de dedos vc torna-se dispensável. A interdependência que há entre as atividades comerciais , trabalhistas, interesses conflitantes , faz de nossa vida um verdadeiro inferno. Não há como prever um mês a frente e a cada dia uma triste surpresa, uma desilusão. O acerto, ou a coisa certa é apenas uma probabilidade, portanto não se censure pois a vida não é fácil e errar é o evento mais provável.

  • Uma vez aprendi que quando nascemos Deus traça um caminho para nossa vida, ele traça o melhor caminho a ser seguido, ou seja, aquele que um pai traça para um filho, mas como temos livre arbítrio podemos escolher o que queremos, e desta forma que moldamos nossa vida seguindo as nossas escolhas que na maioria das vezes são imaturas e precipitadas, mas ser livre e justamente isso poder fazer escolhas, mas também e saber arcar com as consequências.
    Assim também fiz um monte de besteiras, faculdade que não devia, casei porque queria e não porque amava e odeio o meu trabalho, mas faço porque não tenho escolha, porém mesmo assim ainda sou feliz, porque a vida que tenho foi justamente a que eu escolhi, são meus erros e meus acertos, por isso penso neles como uma lição que aprendi, nunca e tarde para ser feliz, e quanto a Deus peço desculpa pelas minhas escolhas e agradeço por que mesmo assim ele ainda continua comigo.