22 anos de vida sem sentido

Tenho 22 anos de idade, completo 23 no próximo mês mas não estou muito empolgado com isso, levantar da cama fica cada dia mais difícil, parece que carrego sobre o meu corpo um peso que aumenta a cada dia, solidão, tristeza, vazio. Eu nunca vivi o que para a maioria das pessoas é comum, eu nunca me relacionei com nenhuma mulher, nunca beijei, sou virgem e nada disso é culpa de algum tipo de vicio ou estado psicológico é a simples e pura rejeição, na época de colégio eu nunca fui o cara popular e bonitão eu era na verdade o cara gordinho nerd ou seja alvo de piadas toscas e apelidos humilhantes, eu não ia as festas de colégio, na verdade tentei ir em algumas e estando lá eu me sentia completamente invisível para as outras pessoas, a incompatibilidade minha para a situação era notória, desde muito novo eu convivo com um mal terrível chamado obesidade, comecei a engordar sem motivo aparente aos 6 anos de idade e de lá pra cá a coisa só veio piorando, eu sou um ser humano como qualquer outro ou seja eu não sou imune a sentimentos, eu gosteis de algumas meninas e amei uma só, eu costumo dizer que existe uma diferença gigantesca entre gostar e amar, você pode gostar de qualquer coisa a qualquer hora e também pode deixar de gostar a qualquer hora, em algum momento você gosta de azul e em outro você gosta mais do verde porém amar é totalmente diferente, são poucas as coisas que tem esse valor na vida e eu amei alguém com todas as minhas forças, vou contar-lhes como aconteceu, em uma determinada época da minha vida eu me mudei de casa, antes morava num cubículo de casa e era difícil viver nela, com o tempo Deus contemplou o árduo trabalho do meu pai e deu a ele condições financeiras para sair daquele lugar precário e fomos morar num lugar maior e melhor, para ser mais preciso eu fui morar numa vila e lá eu conheci a mulher que seria a primeira mulher que eu viria a amar na minha vida, com 3 semanas morando lá eu conheci a Anne (nome fictício), eu era muito novo para compreender o que veio a acorrer depois, ela com tempo veio a ser minha primeira amiga de verdade a ponto de chegarmos da escola lá pra meio dia e meio e ficar conversando até às dez da noite fácil, riamos juntos, chorávamos juntos fazíamos tudo juntos, a gente brigava as vezes a ponto de ficar sem se falar alguns dias, quando isso acontecia com outras crianças eu simplesmente não ligava mais quando acontecia entre Anne e eu era um caos, eu me sentia culpado e incomodado e eu sempre voltava pra pedir desculpas mesmo não tendo começado a briga, ficar longe dela me entristecia e eu não entendia o motivo, na escola eu ficava agoniado contando os minutos para acabar a aula e ir correndo pra casa ver a Anne, tinha momentos que eu ficava olhando pra ela só observando seu rosto, sorriso, detalhes do seu corpo e era confuso pra mim não entender aquela necessidade de estar com Anne, até que eu descobri que era amor graças a um brother que me esclareceu a situação, na época eu estudava no ensino fundamental e ele era do ensino médio, 6 anos mais velho e era o único na escola toda que me tratava bem e com paciência, por um tempo ele foi a figura de irmão mais velho que eu nunca tive, eu contei a ele o que estava acontecendo, contei tudo sobre Anne e perguntei a ele o que era tudo aquilo e ele me respondeu “É amor carinha.. (risada de leve)”, daquele dia em diante eu descobri que eu não queria a Anne como minha amiga, eu queria mais, eu queria que fôssemos uma única coisa, eu queria dar meu coração para ela cuidar, porém, toda via, com tudo a vida começou a ferrar com tudo, os anos foram passando e Anne amadureceu bastante, eu por outro lado eu não fazia jus a idade que eu tinha, aos 16 anos de idade parecia que eu tinha 11, não amadureci como deveria e sinceramente me arrependo de uma maneira absurda por isso, Anne saia com os amigos, ia para as festas, conhecia gente nova e eu fiquei estagnado no tempo eu ficava em casa assistindo animes, descobrindo bandas novas e jogando play 2, eu não saia, não tinha auto estima, eu me olhava no espelho e enxergava algo horrível e deformado e daí eu ficava com vergonha de sair, nossa amizade ainda existia mais não da mesma forma, ela já usava o tempo dela para outras coisas e menos para mim, normal afinal quando você amadurece você descobre novas coisas e pessoas, novos horizontes, e aquilo começou a me afetar de forma negativa, por que a corda que nos unia estava rompendo pouco a pouco, Anne era uma menina linda, não muito alta, magra, cabelos longos e escuros, olhos castanhos claro, e branca feito um palmito, eu costumava chamar ela de costelinha pelo fato dela ser muito magra quando mais nova (uma das boas lembranças que tenho ainda), alguns meses depois a casa caiu e eu descobri que a Anne estava ficando com um zé mané lá da rua, o cara era um mala, metido a malandrinho, pagava de bonzão pra todo mundo, e aquilo era inaceitável pra mim, eu não entendia do por que ele, o que aquele zé mané tinha de tão especial, e enquanto eu me questionava a respeito daquilo eu pude escutar o estalo de um laço se rompendo, era o laço que nos unia, antes de a Anne conhecer esse cara, um pouco antes dela descobrir coisas mais interessantes, rolou alguns momentos de ternura entre nós, curtos, mais rolaram, trocas de olhares demorados, carinho com os pés sem perceber, abraços inesperados, e isso era o que mais me deixava frustrado e me fazia questionar o porque não fui eu e sinceramente eu acho que era pela minha aparência, eu ouvi falar por algumas pessoas que ela não gostava de gente gorda, alguns anos se passaram e a gente não se falava mais, ela é até hoje a minha vizinha, minha casa fica literalmente colado com a casa dela, e cara era difícil chegar de noite cansado da aula e ver ela agarrada com outro cara fazendo o eu queria fazer, depois disso tudo eu finalmente amadureci de verdade, como consequência eu me tornei uma pessoa fria, eu agora já não mais só estudava, eu tinha que trabalhar pra pagar meu curso a noite, e eu chegava cansado e estressado a noite e lá estava ela na porta de casa no mesmo lugar que costumávamos ficar abraçada com outro cara, aquilo simplesmente me moía por dentro, aos 18 anos de idade decidi excluir ela da minha vida, parar de me torturar, esquecer aquilo tudo, exclui ela das redes sociais, numero de telefone, tudo, 4 anos se passaram desde que exclui ela da minha vida, de lá pra cá eu não amei mais ninguém, confesso que tentei mais não encontrei ninguém que me libertasse dela, ninguém que tivesse o mesmo impacto que ela teve na minha vida, eu achei que finalmente eu estava liberto desse sentimento, comecei a frequentar a academia a fim de perder peso, me formei como técnico, as coisas começaram a fluir para mim, aí a vida escrota como sempre decidiu me dar uma rasteira, uma pessoa no meu facebook tem a Anne como amigo em comum e marcou ela num vídeo, eu estava dando uma olhada no meu facebook para distrair e dei play nesse vídeo e seria melhor ter dado inicio a terceira guerra mundial do que ter dado play naquele vídeo, quando o vídeo de 40 segundos acabou eu estava em choque, chorando de soluçar, senti uma dor no peito semelhante a uma facada, era a Anne aceitando o pedido de noivado do atual namorado dela durante a sua festinha de aniversario surpresa, quando ouvi o “sim” em lágrimas dela, na minha cabeça veio uma explosão de memórias e aquela saudade maquiada veio como uma carreta desgovernada, eu chorei a semana inteira e até agora ainda estou meio atordoado, com aquele sentimento de “acabou, já era de vez, esquece essa merda..”, perdi anos da minha vida nutrindo um sentimento que me fez mal quando na verdade deveria fazer bem, se eu tivesse sido um cara escroto, babaca tudo isso seria justificado, mais eu era gente boa com ela, tratava ela bem de mais, chegava junto direto e a vida me recompensa com essa marretada na cabeça, o vazio que sinto agora é gigantesco, uma ferida que ainda sangra bastante, eu bebo aos finais de semana para dar cabo dessas lembranças, eu saio com meu melhor amigo que tem me ajudado a superar isso, mais nada faz muito sentido, e no meio disso tudo vem outras frustrações, o fato de que tenho 22 anos e não tenho grandes coisas a oferecer, meu trabalho não é dos melhores, minha formação é apenas um quebra galho e é técnica e não superior então não dá pra arrumar um trampo de destaque, não tenho carro, moro com meus pais, escuto bandas que ninguém do meu ciclo de vivencia conhece, e cada dia que passa menos sentido as coisas fazem, acho que ou eu sou de outro planeta, uma alien fracassado expulso da sua raça ou eu sou uma cobaia usada pela vida para fins científicos, não desejo que ninguém experimente o que eu vivi e tenho vivido, de 2 meses para cá tenho frequentado a academia e já estou vendo alguns resultados legais, tenho procurado sair mais, mais aquele vazio ainda tá aqui me acompanhando, e sinceramente acho que estou destinado a viver sozinho, sempre que tento me interessar por alguém o barraco cai na hora por que as mulheres da minha idade já viveram intensamente e eu como disse antes nem sequer dei o primeiro beijo ainda, é como se eu tivesse 11 anos eternamente, nesse mundo de futilidades e coisas sem sentido encontrar um amor para viver é impossível, se eu chegar em alguma mulher e contar pra ela que eu nunca beijei que sou virgem e tal acho que vou me tornar uma piada global. A trilha sonora da minha vida recentemente se resume a duas musicas Paul Banks – Young Again e Angus e Julia Stone – Silver Coin. Conselho pra quem teve paciência de ler essa baboseira toda que escrevi sobre a minha vida de merda, se você ama alguém não perca tempo vá lá e fale, procure amadurecer mais nunca abra mão de ser quem você é, não deixe de ser quem você é por ninguém, vivam suas vidas, aproveitem, saiam, viajem, não seja como eu, não se destruam.

 

Reportar

Deixe um comentário

12 Comentários em "22 anos de vida sem sentido"

Notificar-me sobre
avatar
2048
Amigo
Visitante

Nossa, você passou o mesmo que eu, a diferença é que tenho apenas 18 anos. Sua vida mudou?

Só mais um cara com vergonha do mundo
Visitante
Só mais um cara com vergonha do mundo

Cara, eu tô emocionado aqui, na moral, passou um filme aqui na minha cabeça… Toda a sua história não será deixada de lado amigo, eu também sou BV e sofro de tantos transtornos que um dia farei um texto tão bom como o seu, sua interpretação, narração sobre foi perfeita, parece que eu fui jogado pra dentro dessa história! A vida ainda te dará frutos, espere! Tudo é questão de prática, cada erro, cada fracasso, acerto… serve pro aprendizado. A vida é foda… Tomare que dessa porcaria que você passou, você se torne uma pessoa forte emocionalmente, me identifiquei com várias coisas que aconteceu com você, inclusive do que aconteceu com Anne.

Membro

cara eu dei meu primeiro bj com 21 anos falatando 5 dias para os 22…tem tempo para tudo na vida… Deus te ajude so ele pode

Visitante

Cara, chorei aqui, sério mano, passo por uma situação muito parecida.

Fã do Rocky
Visitante

Você está errado. Muitos dariam tudo para não ter saído e “curtido” e ficado rodados por aí. Você alimentou istobpela Anne porque não conviveu com ela numa rotina. E parece q poderia conviver q nem um cão abanando o rabo até o dia em que ela se tornasse uma reclamona na rotina do casamento, ou surgisse com a surpresa de um pedido de divórcio ou te brindasse com chifres. Acredite, estas coisas existem e muitos acordam tarde demais. *Você só tem 23 anos*! Leia sobre a vida de São Gonçalo Garcia, São Francisco que até ao Egito foi, apanhar de muçulmano mas sem desistir, para levar uma palavra ao sultão, veja a vida de São Bento, Santo Antão do deserto, São Camilo de Lélis. Uns eram llayboys, outros nerds, outros até viciados em jogo e todos um dia acordaram para o verdadeiro tesouro desta vida: entregar-se ao poder do Espírito Santo e fazer uma grande obra na terra. Eram todos *humanos*, nenhum era superman. Cuidado com esta ilusão de q todos estão bem e se divertindo e você não. Tem gente rodando à pampa aí e miserável na vida (nem digo financeira), enquanto você deve estar muito melhor no seu quartinho. Fala com Deus, fala na moral “Po Deus o que é que o Senhor quer que eu faça? Se você é Todo Poderoso não vai me dizer?” Insiste. Ele vai começar a agir. Te digo por experiência própria. Você pode achar sua vocação ou uma ótima mulher levado por Ele, mas sem Ele há sempre os riscos. E depois q vc tiver tudo isso aí que lamenta não ter tido, vai ver que não faz diferença nenhuma. Tudo passa, ninguém fica se divertindo toda hora.

caiomatias
Visitante

Caramba parceiro lamento muito por voce de verdade sinto o msm que voce, porq ja passei por algo parecido faz quase 1 ano que vi o sorriso da minha amada e o pior e que eu ainda fui diferente pelo menos vc foi vc mesmo e eu fingir ser um babaca so pra fazer a moça sofrer e hj quem sofre sou eu. Pow mano nao desanima nao tenta se manter pra cima vai sair com amigos, se vc se queixava da sua aparencia quando vc era novo, tenta mudar um pouco essas coisas servem pra ajudar esses tombos que a vida nos dar. sei disso por experiência própria vc vai encontrar alguem pow se precisar de um amigo tamo junto

wpDiscuz