Perdi a capacidade de amar, depois da infância

Estou dizendo como “amor” aquilo o que se sente por amigos, família, cônjuges, animais de estimação etc.

Não passei por algum trauma grave que pudesse resultar nisso, mas o fato é que eu tenho uma espécie de dificuldade (e até certo desinteresse) em me conectar com as pessoas. É como se eu tivesse perdido essa habilidade pouco a pouco durante a adolescência. Hoje não consigo “amar” ninguém.

– As minhas poucas amizades são relativamente rasas, de modo que sempre tive colegas de escola, colegas de faculdade, mas nunca Amigos de fato… Depois de um tempo eu acabo me afastando deles, quando não preciso mais vê-los diariamente, porque não consigo ver aquela relação durando por muito tempo, então acabo com ela antes que comece a se desgastar sozinha.

– Sou assexual. Em 22 anos de vida eu nunca me apaixonei, e rarissimamente sinto vontade de tocar outra pessoa. O máximo que eu já quis na vida foi ter uma amizade profunda, no nível de “melhores amigos” (o que também não acontece).

– Minha mãe é uma boa pessoa e me ama muito, e não conseguir retribuir me pesa. Já a amei muito, mas hoje só quero que ela seja feliz, sem que eu precise estar por perto… Infelizmente ela só tem a mim e se agarrou a essa relação, então não posso só me afastar. Me obrigo a conversar com ela quando estou em casa, entretanto, esse esforço parece nunca ser o suficiente para minha mãe… O restante do meu conjunto familiar é irrelevante.

– Adoro animais e realmente odeio vê-los sofrer, mas também não quero ter um animal de estimação, porque não tenho afeto nem tempo suficiente para dar a eles… Secretamente desejo que a minha mãe dê nossa cadelinha para alguém que cuide bem dela (cujo grande amor por mim também é um peso).

– Estudo psicologia por conta própria, e também diversas teorias de personalidade, para conseguir entender as pessoas e ter uma interação mínima. Preciso realmente raciocinar para compreender como as pessoas pensam e se sentem, ou para saber como lidar com elas de modo eficiente.

– Eu crio “mundos” na minha cabeça, onde passo a maior parte do meu tempo (isso é chamado de “Maladaptative daydreaming”). Desenvolvo personagens, uma história, e fico rodando tudo na mente como se fosse um filme. A minha pessoa não existe nesses lugares; acompanho tudo “de fora”, assistindo a esse filme, ou vivo a situação dentro de um dos personagens… Um fato interessante é que a maioria dos personagens que eu habito sabem amar, e eu entendo/sinto esse amor que eles sentem, mas não consigo trazer a sensação de amar ao mundo real.

– Quando estou no “mundo real”, passo quase todo o tempo livre na internet lendo sobre assuntos que me interessam. Gosto muito de ler ficção e de adquirir conhecimento, principalmente científico.

– Por último, eu já achei que não tinha sentimentos, pensei ter algum transtorno de personalidade, mas isso não é verdade. Tenho sentimentos e emoções até fortes demais às vezes, mas não vejo com bons olhos compartilhá-los. Eu tenho um grande senso de lealdade, justiça e a chamada Empatia Cognitiva; dificilmente prejudicaria alguém por benefício próprio. Só que no lugar do amor que deveria me ligar às pessoas mais próximas (até aquelas com quem eu gosto de estar), existe um vazio.

Deve ser porque eu também não me amo.

 

Reportar

Deixe um comentário

4 Comentários em "Perdi a capacidade de amar, depois da infância"

Notificar-me sobre
avatar
4000
Bela
Visitante

Eu não sou nenhuma profissional mas creio que o amor esta dentro de ti, basta você saber “tirá-lo” pra fora. Sei disso porque se você fosse uma pessoa fria não teria a empatia.

O que aconteceu para você não confiar nas pessoas? Isso é medo de alguém te magoar ou trair a sua confiança? O que fez com que você perdesse a vontade de amar? ….

Pense e tente responder pra si mesmo essas questões.
Lembre-se que amar não é só um sentimento mas uma escolha {você pode escolher amar quem não te ama}.

Procure pelo livro de Jonh Maxwell – A arte de influenciar pessoas.

Espero ter ajudado de alguma maneira

no names
Membro

Eu me identifiquei com o que voçe escreveu…
Eu estou em um ponto em que eu não vejo nada de bom nem de ruim em ninguém, pra mim são apenas pessoas que fazem o que tem que ser feito e pronto…
Virei uma pessoa fria sem sentimentos nem emoções…
Eu náo tenho nenhum proposito nem no que acreditar, eu apenas existo…

Membro

Me identifiquei com a ultima frase: eu apenas existo.

Membro
luuh eduardo Animes

Cara vc precisa de ajuda começa a buscar á Deus e vai em um psiquiatra pq seu relato é muito estranho alguma coisa de errado vc têm.

wpDiscuz