Eu e a síndrome do pânico

Olá, o que eu tenho pra dizer pode ser importante pra alguém. Não tô aqui pra gerar sensacionalismo, só pra dizer o que normalmente as pessoas não gostam de ouvir ou não dão a mínima.

Bom, eu tenho 19 anos, estudo pra tentar o vestibular em um curso bem concorrido. Com isso, a minha vida passou a ser bem corrida, estudos em casa, a noite o cursinho, tarefas do cursinho… enfim, uma loucura. Meu dia é bem produtivo, exceto nas sextas-feiras (hoje, por exemplo), mas a noite quando tenho que dormir simplesmente não consigo. Parece que todos os meus medos vêm a tona e eu fico apavorada por nada. Tenho pensamento horríveis, a impressão a qual tenho é que eu não vivo o presente, por vezes penso no passado, no que poderia ter acontecido, ou que pode acontecer com todos. Sou muito afetada por tudo que é externo, com noticiários, com o que escuto, leio. Acabo não conseguindo dormir tão facilmente, e no dia seguinte acordo extremamente cansada.

Namorei algum tempo com um cara bem legal, ela já estava na faculdade, então já tinha muitos problemas pra lidar com os meus, busquei evitar o assunto ao máximo. Mas havia dias que eu só queria desabafar, dizer o que passava na minha cabeça, contar das minhas preocupações mas evitei. Namoramos um tempo a distancia e por isso terminamos. Fiquei muito mal, ainda gostava dele mas tudo junto a um ódio, um ódio fumegante de tudo, piorei. Ainda tinha a companhia da minha mãe que me ouvia, mas sabe como é né?! Só a gente sabe o que sente, mesmo expondo até os detalhes, ninguém vai olhar como você olha.

A síndrome do pânico é um dilema que tento levar, não tem cura, ninguém que sofre isso está bem o tempo todo; mas… é como eu li uma vez “estou numa montanha-russa que só vai para cima”, quem me dera.

Mas eu aprendi a ver ela em uma outra perspectiva, de um outro ângulo e até agreguei aprendizados, como: 1- o mundo não gira em torno de você; 2- ame-se em primeiro lugar, pois ninguém está na sua pele; 3- você compreende melhor os problemas das pessoas e se sente feliz em compartilhar dos medos e não se sente mais sozinha quando encontra alguém do seu ladinho pronto pra conversar sobre qualquer coisa.

 

Reportar

Deixe um comentário

4 Comentários em "Eu e a síndrome do pânico"

Notificar-me sobre
avatar
4000
Thiago
Visitante

Esqueci de falar um importantíssimo detalhe. EU NÃO TOMO REMÉDIOS.

Thiago
Visitante

Quer uma notícia boa? existe sim a cura para síndrome do pinico, ops… do pânico. Ah, você conhece alguém que já teve? eu não, mas esse alguém sou eu mesmo. Eu já passei por isso, há 2 anos não tenho mais nenhum encômodo. Se quiser conversar como foi minha experiência, pode entrar em contato, tbm vai ser muito legal conversar com alguém e você poderá se sentir confortável.

Mordecai
Membro

Você está em um momento de stress, vai diminuir depois que passar o vestibular. Aproveite as suas sextas-feiras para relaxar bastante. Mas atenção aos seus “aprendizados agregados”. 1 -> Ok. 2 -> Ok. 3 -> Cuidado com isso, confiar demais em quem não deve pode trazer problemas e decepção.

iludida
Visitante

bom símdrome do pânico tem cura sim basta você ir procurar ajuda, eu tomo comprimidos para dormir porque eu também passo por isso a minha mente ela não desliga quando vou dormir depois do meu casamento que não deu certo e o meu aborto eu precisei ir no medico e ele me receitou o clonazepam hoje eu durmo ate bem, procura seu medico e busque também acompanhamento psicologico um abraço..

wpDiscuz