A vida de um estudante “crioulo do cabelo duro”

Preciso desabafar algumas coisas que aconteceram na minha vida.  Alguns devem achar que tudo que eu passei é bobagem, que tem pessoas que passaram por coisas piores e estão vivendo… Queria eu que conseguisse esquecer essas coisas que assolam minha mente todos os dias e poder viver normalmente , mas é uma coisa impossível. A única forma disso acabar é a morte, e tenho desejado ela a muito tempo. Não sei se esse desejo é real ou se é uma maneira de querer chamar atenção de certa forma. Enquanto fico nessa dúvida continuo vivendo.

Desde pequeno sempre fui uma pessoa um pouco mais calada, mais observadora e bem mais inteligente que a maioria das pessoas da minha idade. Porém, tive o tremendo azar de nascer uma pessoa “sem classificação”. Meu pai é negro, minha mãe é branca, tenho o tom de pele pardo, mais para o negro. Parece que eu herdei os defeitos físicos das duas raças. Porém, quando pequeno não ligava para essas coisas, infantil inocência. Nos primeiros anos da escola minha avó me matriculou num colégio particular, e ela mesmo pagava. Não era uma grande escola, a qualidade de ensino não era boa, visto também a renda de quem estudava naquela escola. Se pagava apenas pela disciplina, já que as escolas públicas eram uma bagunça total.  Todavia, aquele ambiente já era uma coisa diferente, tinha muitas pessoas diferentes de mim. Pessoas brancas. E aconteceu o que era de se esperar. Me tornei motivo de chacota da escola, bullying contra mim era certo. Porém, após alguns anos consegui contornar essa situação. Vi que poderia utilizar minha inteligência em prol disso, então comecei a passar cola para os “amiguinhos” que ficavam me zoando, visto que eles tinha muitas dificuldades nos estudos. Então eles pararam de me zoar e começaram até a me aceitar, de certa forma, no seu meio social. Consegui sobreviver bem até certo período, até chegar a puberdade. Via esses meus “amiguinhos” sempre tentando conversar mais com as meninas e vice-versa. Porém eu não tinha esse direito, não podia flertar com ninguém porque eu era um “ser sem classificação”. Eu era feio, era diferente de todos ali. Era o famoso crioulo do cabelo duro. Esses anos foram o pontapé inicial para que eu começasse a destruir minha auto estima. Me sentia muito mal, eu não pertencia a grupo algum.

Terminado o ginásio, fui para uma escola pública no ensino médio.  Carregando já aquela mágoa devido aquela discriminação. Uma pessoa com 16 anos já pensando em o quão feia ela era, que ela não devia ser amada por ninguém. Eu não sabia porque eu existia.  Pobre, feio e tímido.  Mas assim que começou as aulas  achei que tudo seria diferente, que seria um novo começo pra mim.

Mais desgraça. Passei o 1° e o 2° ano sem muitas amizades. Sobre as mulheres eu desisti, ao menos naquele período.  Me preocupava só em estudar . Comecei a criar a perspectiva de que se eu estudasse e fosse bem sucedido profissionalmente conseguiria me desenvolver melhor socialmente. Que ilusão kkk Continuei com o meu plano de ajudar os opressores para não ser muito oprimido. Até que dava certo. Sempre fui uma pessoa bem educada, solícito e altruísta. Isso fez com que no 3° ano eu conseguisse algumas amizades. E finalmente me achei em um grupo de amigos. Éramos 4, 2 homens e 2 mulheres. Por um pequeno tempo não me achei um lixo total como sempre me sentia. Achei até que possivelmente poderia ficar com uma das garotas. Mas depois de certo tempo reparei que elas eram levemente diferentes em relação a mim. Eu não podia fazer certo tipos de brincadeiras como o Thales fazia. Comigo as coisas eram diferentes. Me iludi. Voltei a focar nos estudos de novo, e do meio para o final do ano comecei a viver mais trancando no meu quarto , só estudando. Terminado o ensino médio consegui entrar numa faculdade. Passei para engenharia civil na UFRJ. E era mais que obrigado eu passar, até porque se eu quisesse fazer alguma coisa teria que ser pública, porque minha família não tinha qualquer condições de pagar nada pra mim e sequer se importavam também.

Nos primeiros anos tirei muitas notas boas. Consegui uma utilidade para mim. Foquei mais ainda, sem perder a perspectiva inicial de ser bem sucedido profissionalmente. Só que o meu destino parecia já estar traçado. Devo ser um fracassado! Além de ter que me matar de estudar numa faculdade super difícil, tinha que me preocupar com as qualificações complementares. Excel avançado , inglês fluente, e bla bla bla de cursos. Todos despendiam tempo e dinheiro. E dinheiro sempre foi um de meus problemas. Mas tudo bem, tentei contornar a situação . Fiz um curso de excel pela internet. Até aí beleza, mas e o inglês ?

Desde um tempinho tentei fazer alguns cursos de inglês grátis, mas sempre alguma coisa atrapalhava meus planos. Sempre tinha algum entrave. Falta  de dinheiro de passagem, horários sobrepostos.  Até que consegui uma vaga no curso de inglês oferecido pela faculdade de letras da ufrj. Eu ia pra faculdade só com o bilhete único que meu cunhado deixava comigo e mais nada, não tinha dinheiro mais para nada. Fui a primeira aula, chegando lá já disseram que tinha que comprar livros e uma montanha de xerox para tirar a cada semana. Tudo bem, continuei. Mas aí vem o destino, não tem como fugir dele. Na 3ª aula, quando eu estava subindo no ônibus, o bilhete único quebrou. Chorei muito no dia, já que até arrumar outro seria difícil e ficaria impedido de ir ao curso como também a faculdade… 6 meses sem cartão. Minha mãe me dava uma pequena quantia de dinheiro para que eu fosse pra faculdade por pelo menos uns 3 dias na semana, para ao menos não ser reprovado por falta e tentar passar em alguma matéria. O inglês estava fora de cogitação. Foi quando reprovei 3 matérias. Comecei a me achar mais um lixo. Nada que eu fazia dava certo. Vida social nunca tive, abri mão dela por um tempo , mas uma hora bate a necessidade. Vi que não tinha nenhum amigo para me ajudar nos momentos difíceis. Tive um surto de ansiedade, logo depois a depressão, que já vinha se escondendo por muito tempo e resolveu mostrar sua cara. Não conseguia levantar da cama pra nada. Foi então que descobri a automutilação. Quando eu me cortava esquecia que era impossível ter na vida calma e força. Iniciado o 2 período da faculdade e meu rendimento ia de mal a pior. Comecei a tirar muitas notas baixas, vivo cansado e sem disposição para nada. Tentava aumentar cada vez mais a sessões de estudos, para melhorar o rendimento. Chegava na hora da prova, por uma pequena desatenção me ferrava totalmente na prova. Um efeito em cadeia. E cada erro desse que eu cometo são cortes no corpo. O grau de importância dos erros eram proporcionais a profundidade dos cortes.

Não tenho mais vontade de fazer nada e nem acredito que conseguirei mais fazer. Não sei mais o que faço.

 

 

Reportar

Deixe um comentário

11 Comentários em "A vida de um estudante “crioulo do cabelo duro”"

Notificar-me sobre
avatar
4000
Sergio Alves
Visitante

Ser mulher é bem pior. O preconceito contra a mulher é letal muitas vezes.
Vai no psicólogo.
A vida passa rápido, então, pra que perder tempo com gente que não gosta de vc ?
Não perde tempo com eles.

Kaa
Visitante

Primeiro, que eu acho que não se deve por culpa na cor da pele e na aparência física; vc tem que se aceitar como vc é, beleza é algo muito subjetiva, e o problema, não está em vc, e sim, em como as pessoas foram doutrinadas pela mídia em relação à beleza. Tipo físico, cor de pele, cabelo, etc, é uma forma da mídia nos enfiar goela abaixo estereótipos, vivemos num país miscigenados, temos a beleza mais linda do mundo, que é essa mistura de etnias!
Depois, procure ajuda psicológica, vc vai começar a se aceitar, destacar suas melhores qualidades, ver a pessoa com grande potencial que existe aí dentro, autoconhecimento! Se fortaleça no grande ser humano que é vc!! Tente arrumar um emprego para bancar esses gastos que vc precisa para se formar. O importante é não desistir, vc é muito inteligente, muitas pessoas queriam ter sua inteligência, queriam passar em uma instituição federal, fazer esse curso, pessoas ricas que se matam em estudar nos cursinhos, e vc não precisou, porque vc se esforçou por mérito. Então, levante à cabeça, mostre para o mundo que vc pode, que vc é capaz!! Estou torcendo por ti!

Thiagotorresbr
Visitante

Sei bem o que você passou. Também sofri preconceito na infância e adolescência. Quando não eram as piadas racistas, eram outras relacionadas a meu corpo (muito magro) e minha altura (1,90)
Me mudei para outro país. Aprendi novos idiomas. Comecei a malhar. Concluí minha graduação e hoje estou muito bem. Eu usei tudo aquilo que foi feito de ruim para comigo como um estímulo. Todas as chacotas, humilhações. Não passei um único dia da minha vida sem me lembrar de tudo daquilo. Eu nem focava nisso mas os pensamentos sempre vinham. Todas aquelas memórias geraram em mim um desejo absurdo de vencer na vida. Quase dez anos depois eu voltei ao Brasil. E incrivelmente todas as pessoas, repito, TODAS as pessoas que zombaram de mim, quando as vi por acaso, estavam mal. A lei do retorno deu a elas de volta toda a zombaria.
E quanto a mim… Bem, estou ótimo! Aquele magrelo hoje é um homem forte, tanto física quanto mentalmente, com sucesso na vida pessoal e profissional.

Não desista. Seja aquele ator principal de filme de luta que apanha muito, se mantém de pé, e no final nocauteia o adversário. Se a vida te derrubar, levante. O faça quantas vezes for necessário. E no final vença. Mostre a ela e a todos que você é o protagonista nessa história. Vença a pobreza. Vença os preconceituosos. Vença as adversidades. Vença na vida!
Tudo de bom. Muito boa sorte.

Membro

Oii Wallace, eu ja me senti totalmente sozinha, sem proposito, uma inutil, realmente nao via sentido na minha existencia. Algumas coisas que me ajudaram foram aceitar que eu sou do jeito que eu sou, se eu for diferente entao nao seria. Aceitar nao quer dizer que nao posso melhorar. E a oração, sei que é cliche falar de Deus quando se esta em um momento ruim, mas eu procurei ajuda com as pessoas e por um tempo deu certo. Eu me sentia quase bem, mas ai tudo voltava e sou membro de uma igreja a muito tempo, mas nem sempre fui conversa a ela. A primeira vez que pedi ajuda a Deus de verdade com desejo real de mudar eu dobrei meus joelhos e falei pra ele todos os meus medos e pedi ajuda a ele, naquele dia eu senti o amor dele por mim. Eu senti que ele nao me abandonou e nao me esqueceu. Isso foi o que funcionou pra mim. Eu tambem gostava de me machucar antes e eu nao queria ser assim, demorou muito tempo pra eu aceitar que eu nao posso controlar tudo, mas posso controlar meus pensamentos e minhas ações contra mim.

Membro

Pelo que deu para perceber você é uma pessoa inteligente e esforçada, mas se você ficar se fazendo de vítima sobre a sua situação nada vai melhorar, continue focado em sí mesmo não desista das coisas tão facilmente, no mundo tem várias pessoas com problema muito piores, o que você deve fazer para melhorar seu problema é continuar seguindo em frente, termine sua graduação, se der arrume um emprego para ajudar a pagar as contas, se você tiver acesso a internet pode aprender muitas coisas, como inglês, excell, etc, basta procurar pelos cursos.
Procure casos de pessoas que superaram seus problemas e se tornaram grandes pessoas assim você pode ter em quem se espelhar para seguir o exemplo.
Uma rápida pesquisa no google achei dois links interessantes, te recomendo a leitura, vai te ajudar um pouco com sua autoestima.

Jsilva
Visitante

Sabe tem um ditado que fala assim “se a vida te der um limão, faça desse limão uma limonada.” Vc parece ser um cara inteligente não desista jamais. No mundo que nós estamos só os fortes sobrevivem. E lembre-se de que nada nem ngm nesse mundo é melhor que o outro, Deus ama todos por igual.quando ele morreu na cruz morreu por todos nós

Donna
Visitante

Guerreiro, é nestas horas que vem a bifurcação e mudança de rumo. Tudo o q vc precisa está dentro de você. Vc ja experimentou fazer exercicios fisicos, musculacao talvez? Libera serotonina e eleva a auto estima. E vc nao precisa pagar, tem varias dicas na net. Vc esta muito falante do mundo de fora, do q aconteceu fora. Sua mudança tem q ser de dentro pra fora.

Cris
Visitante

Força cara, não desista de você…Talvez esteja procurando luz em meios as trevas, paz em meio a guerra…O mundo é grande e tem gente boa em alguns lugares, mas onde você tanto procurou e não encontrou é por não tem mesmo.A melhor resposta é ser bem sucedido e não fazer mal para você mesmo.

Marys
Visitante

A vida é cheia de barreiras para os que não fazem parte das elites. Porém, se desistir de lutar, a sua vida vai ficar ainda mais complicada. O que eu sugiro para agora é que você encontre um trabalho à noite ou nos finais de semana (garçon, professor de aula particular, faxineiro, lavador de pratos, enfim, seja lá o que for). O objetivo é que você arranje algum dinheiro para poder investir no seu próprio desenvolvimento (fazer cursos extras, pagar o transporte, comprar uma roupa legal, ir ao cinema).
Além do trabalho, eu também sugiro que você passe a analisar e a estudar o modo como Deus age. Uma das maneiras de conseguir isso é conhecer a palavra que Ele nos deixou por escrito. Por exemplo, quando descobri esse Salmo (27 :10) “Ainda que meu pai e minha mãe me abandonem, o SENHOR me acolherá. ” fiquei muito feliz.
Outra coisa boa seria fazer um plano para sua vida. Por exemplo, com o diploma de engenheiro na mão, você poderá fazer alguma coisa na área de IT. Profissionais de IT arranjam emprego em qualquer parte do mundo. E em outros países você poderá viver uma realidade diferente, onde o excluídos não são tão excluídos quanto no Brasil.
Eu tive uma vida parecida com a sua, embora eu não seja tão inteligente :). Com perseverança e com bençãos consegui superar muitas barreiras. E se há algo que eu me arrependo profundamente é de não ter ido atrás de algum tipo de trabalho enquanto fazia faculdade. O dinheirinho que eu teria ganho teria evitado a maior parte das gafes, vexames e saias justas que eu passei.
Vamos lá, coragem!

capitu
Membro

Procura uma ajuda psicològica ,pois là com certeza vc vai conseguir se encontrar, e não dê tanta importãncia para as coisas do mundo,pois o mundo muitas das vezes vivem de uma ilusão, vc deve se apegar a DEUS e as pessoas que te amam além da sua aparência; espero ter te ajudado pelo menos um pouco.

nathalia
Membro

Acho que primeiramente vc tem que se aceitar, aceitar a sua vida a sua situação.
Caraaa como assim pelo fato de vc ser pardo, ser filho de uma mistura de negro com branco, e não ter muito $$ vc acha que isso é o motivo da do seus problemas ! ? Cara vc não é o único que já passou por necessidades nessa vida ! Tudo vai dá forma que vc controla e se esforça. Amigos? Eles serão sempre bem vindos, mas mas bem vindo será o seu esforço.
Se vc não fazer nada para se aceitar, vc será um revoltado. O mundo está cheio de pessoas sem $$ mas que se esforça sem ligar para o que os outros pensam !
Faça a sua vida, se aceite! Se a questão é $$ tenta arrumar um bico, se mutilar não vai ser a solução dos seus problemas. Ficar numa cama tbm não a vida vai passar ! E a idade vai chegar então faça por vc !
Eu mesma não tive recursos para nem numa faculdade entrar, trabalho dia após dia para pagar minhas contas. Sofri bulling, não tive mãe e pai por perto.
Mas eu faço a minha vida.
A vida muda qd vc muda !
Acordaaaaa rapaz ! Saia dessa se aceita, se esforça ! Para de remoer lembranças ruins para de se tornar refém dos seus problemas! Problemas sempre vai dar, o que solucionará é a forma q vc encara ele !
A vida não é o mar de rosas para ngm !
Sinta orgulho de sua cor ! De sua raça que foi um povo sofrido mas não covarde.
Pensa positivo!! Para de se auto mutilar, seja guerreiro vc é capaz! E nas dificuldades q se faz o guerreiro!

wpDiscuz